Páginas

Minhas Aventuras

"After climbing a great hill, one only finds there are many more hills to climb"
Nelson Mandela

terça-feira, 17 de maio de 2011

Chauás é coisa pra gente grande…


Como ainda sou uma criança, hehehe, fui inscrita na categoria Light com minha dupla, o querido Tarcísio, mais jovem porém mais experiente do que eu nas aventuras. O Tarcísio tirou suas merecidas férias e não estava treinando. Ufa… imagina se ele estivesse, eu estaria ferrada! O menino é forte viu.
O circuito Chauás é conhecido por suas provas muito mais duras do que as outras, com perrengue de verdade, mapa menos detalhado, sem algumas marcações e, pela nossa experiência, com distâncias erradas. Mas deu tudo certo… a light foi do nosso tamanho!
A primeira etapa do ano foi sábado agora, dia 26/02, em Pindamonhangaba, aos pés da LINDA Mantiqueira. Cada vista… tirava o fôlego que já estava difícil de encontrar durante as longas pirambas.
O espírito Chauás é muito gostoso. Todo mundo leve, pronto para sofrer em melhor estilo. O Lucas, responsável pelo circuito, me recebeu na retirada do kit na noite anterior com o maior sorrisão e um abraço de quem respeita muito os Lebreiros (me senti em boas mãos!). E brincou com a minha cara de menininha… como assim essa mocinha princesinha de vestidinho vai encarar essa amanhã? (as pessoas não confiam na minha capacidade de mutação de menininha into little tough boy hehehe).
Jantamos lá mesmo, era uma churrascaria. É um esquenta saudável, eu diria. Pessoas de outras equipes me davam as boas vindas também. Brinquei com a filhinha do Chris da Lebreiros (responsável por me trazer pra equipe). A Gi tem 4 aninhos e foi apoiar o pai. Levou até a bike rosinha dela, caso a Ciça, dupla do Chris, não pudesse correr. Fofa… Equipe Lebreiros reunida em massa: Fred, Paula, Isa, Tarcísio, Lisandra, Zé Edu, Geni, Junior, Chris, Ciça, QG. De volta ao hotel, mapa feito, pc’s plotados, tudo pronto, cama.
Sábado, 10h: Largamos junto com as duplas mistas do Pró num sprint curto rumo as canoas canadenses. Foi um trecho hilário e perigoso ao mesmo tempo. Parecia video cassetadas, TODO mundo, sem excessão, virou. Foi perigoso porque houve congestionamento em alguns trechos críticos de corredeiras e bambuzais e o Fred por exemplo, que correu com a Isa, ficou prensado entre dois caiaques, quase desmaiou sem ar. A Isa conseguiu empurrar o caiaque e soltar o pai (sim, pai+filha, show né?). A Lis, dupla do Zé Edu ficou presa num pedaço de bambu que prendia ela embaixo d’água uma hora que viraram. O Zé Edu puxou ela pelo colete na força e conseguiu tirá-la. Nessas horas a calma e concentração da dupla é essencial para literalmente salvar o parceiro.
Tarcísio e eu não tivemos grandes incidentes. Ele é um lemeiro nato! Demos nosso melhor, remamos de ré, erramos algumas curvas (num tinha uma reta!) mas incrível mesmo foi quando uma vaca cruzou o rio na nossa frente. Se não tivéssemos encalhado ela teria passado era por cima da gente. Perfect timing! Nossos erros eram todos justificados e recompensados com muita risada. Saímos do remo em primeiro na categoria e na frente de muita dupla da Pró (inclusive do Chris, que na verdade é o que importa hehehe).
Pegamos a Bike e partimos para uma perna de num lembro qtos km de pirambas intermináveis e vistas uau. Não foi pior do que o treino em Itupeva no sábado anterior, mas essa parte pesou pro meu parceiro que não pedalava desde o ano passado. Fomos com calma, parando, apreciando a vista, conversando e indo. Nesse momento duas duplas passaram a gente, a Elaine (primeiro lugar) e um casal super fofo, a Estela e o Rafael. Outra dupla ficou na nossa cola. Quando o downhill começou (tudo que sobe desce), seguimos forte (passamos o Chris de novo!! hehehe) para a troca pro trekking no PC 4, se não me engano (como vcs podem perceber minha memória é focada em lembrar outras coisas que não são distâncias, números etc…) onde a Paula nos esperava com a Giovanna filha do Gui nos dando motivação. Pegamos um gatorade com a Giovanna (que depois serviu para outra coisa, depois conto) e saímos desse PC em terceiro com a quarta equipe colada. Mas corrida é o nosso forte e simbora. Mantivemos um ritmo de trote no plano e na descida e caminhada nas subidas. 9k entre nós e o pórtico.
Sempre que a FC do Tarcísio subia muito a gente fazia uma pausa para admirar a vista. ô subidinha inclinada viu. A gente achava que estava indo devagar mas ganhamos muita motivação quando encontramos com o casal fofo (segundo lugar) numa bica de água gelada. A garrafinha vazia do gatorade serviu para pegarmos água e jorgarmos em nossas cabeças. RENASCEMOS. Estava M-U-I-T-O calor. Muito muito muito. Renascemos. Seguimos num ritmo bom até começarem as descidas. Aí soltamos os freios e seguimos ladeira abaixo (com direito a um jacaré meu – depois de tanto peixinho vc aprende a cair sem se machucar). Cruzamos mais duas duplas masculinas nessa descida desenfreada. Faltava 1km até o pórtico e sem nenhum sinal do terceiro lugar, corremos curtindo o momento, cantando, dançando, brincando, sorrindo. A trilha sonora era “F*#@ You” do Ceelo Green.
Mais fácil mostrar o vídeo da nossa chegada para entender:
Na Pró, ficamos assim:
2• Lebreiros Lisandra e Zé Edu (chegaram colados no primeiro lugar)
3• Lebreiros Isa e Fred (colados na Lis e no Zé Edu)
4• Lebreiros Geni e Junior (colados na Isa e no Fred)
O Chris e a Ciça terminaram a prova mais tarde, foram num ritmo mais tranquilo parando para apreciar as estrelas e fazendas de búfalos. Chegaram com sorriso no rosto e inteiraços!
O QG correu solo e completou a prova inteiro e com sorrisão também (detalhe: as duplas masculinas e os solos tiveram que remar a noite!!!!).
PARABÉNS A TODOS OS LEBREIROS!! E dois agradecimentos especiais: um para a Paula que deu um apoio imprescindível para nossa colocação e outro para o parceirão Tarcísio. Parabéns pela perseverança e força!!
Bom, agora chega né, já virou um livro esse depoimento… hehe. Algumas fotos:


Geni, Junior e Vivi
Geni, Junior e Vivi


Nosso mapa
Nosso mapa


As medalhas
Eu e Tarcísio!

Nenhum comentário:

Postar um comentário