Páginas

Minhas Aventuras

"After climbing a great hill, one only finds there are many more hills to climb"
Nelson Mandela

quinta-feira, 27 de outubro de 2011

Riding Life - Entre o rio Loire e os Castelos mágicos da França

No dia seguinte à meia maratona de Amsterdã zarpei da Holanda [triste, mas segui rumo outro destino promissor...]. Eu e minhas malinhas seguimos de trem para Paris e em seguida para Blois, no Vale do Luar. De Blois peguei um taxi rumo Saint Dyé Sur Loire para começar minha cicloviagem de 6 dias e 5 noites pela região dos castelos medievais, vinículas, fazendas, cidades pré histórias lindinhas, e paisagens que mais pareciam cenários daquelas telas impressionistas que estudamos na aula de História da Arte. Coisas que não existiam em meu repertório antes.


Uma das minhas vontades nessa vida é de conhecer o máximo possível desse mundo de bicicleta e quando me vi planejando 1 semana de férias na Europa, vi que poderia ser a hora de começar!!!

Quem me ajudou e foi fundamental para que eu realizasse esse sonho foi a Dani Nagaoka [obrigada Dani!!]. Ela fez uma cicloviagem com uma amiga na mesma região durante o verão europeu deste ano e me contou sobre o Vale do Luar e como lá era o local ideal para uma aventura solo. Seguro, tranquilo e plano.

Peguei todas as dicas com ela e comecei a pesquisar pela internet empresas/agências que realizassem roteiros nessa região. Depois de muita pesquisa descobri a Biking-France. Eles possuem roteiros por toda França para todos os gostos e graus de dificuldade. E você ainda escolhe se quer se hospedar em um castelo [haha...] ou em um hotel 3 estrelas [que foi minha opção - todos eles são hotéis gourmet com restaurante top e café da manhã e jantar - daqueles incríveis - inclusos no pacote]. Confiei, reservei, paguei e fui.


Funciona assim: eles cuidam de toda logística para você.

No primeiro dia, no primeiro hotel em que dormi, recebi minha bike com alforge, capacete, lock [que praticamente não foi utilizado - não havia necessidade], porta-mapa, cateye, kit reparo de pneu e blusa reflexo caso tenha que pedalar à noite. Além disso tinha uma super pasta com todos os mapas e planílhas, dicas, informações relevantes etc.


A bagagem é levada de um hotel ao outro por um motorista fantasma [eu nunca o vi e minhas malas magicamente apareciam no quarto do hotel seguinte], e ao chegar lá no hotel você já está sendo aguardado pela recepcionista!

Além disso, como disse acima, café da manhã e jantar estão incluídos. Eu achei que fosse ser algo pobrinho, já que tinha comprado o pacote mais simples, mas não... café da manhã com croissants a vontade [incluindo aquele quentinho com chocolate derretido dentro...hmmmm], chás, geléias da região, sucos, frutas, etc... E o jantar.. ish, sempre com uma entrada antes da entrada, mais a entrada oficial, mais o prato principal, depois a sobremesa e ainda tinham a pachorra de perguntar se eu queria um chá depois, como se coubesse!



Enfim, a única coisa que você precisa fazer mesmo é seguir o roteiro pedalando até o próximo destino [e de preferência almoçar no meio do caminho].

É animal, super recomendo!!! Minha única sugestão é que, se for fazer isso, vá durante o alto verão, pois eu fui na última semana da temporada e o frio tinha começado. Sem contar que no meio da temporada tem muita gente fazendo cicloviagens, famílias inteiras, crianças e velhinhos. E é muito mais legal poder conhecer gente pelo caminho, né? Bem, eu não conheci ninguém... justamente porque não havia mais ninguém! hahaha ok.


E sobre a chegada a cada destino final, preciso dizer que é uma experiência indescritível. Bom, pelo menos pra mim foi. A sensação é de que o caminho é construído a cada pedalada e chegar inteira, saudável, sem nenhuma ocorrencia, nadinha de errado, tudo em perfeito equilíbrio... parece coisa divina! Sempre me emocionava nas chegadas!


Mas para contar sobre essa viagem só fazendo vários posts ou pessoalmente. Tem algumas histórias malucas, como a do hotel-mansão-assombrado do último dia e a partida para o primeiro trecho de bike, no qual errei tantas vezes na navegação que pedalei meros 25km a mais [70k sem roupa de ciclismo numa bike de passeio é... dói rs].

Sozinho também é bom!!!

Esse diálogo aconteceu de várias formas e com várias pessoas nos últimos dias:

- E aí Vivi, como foi a corrida?

Vivi - Foi excelente, fui super bem, superei minha meta, fiquei feliz!

- E Amsterdã, foi legal?

Vivi - Foi incrível, aquela cidade é animal, preciso voltar com mais tempo...

- Mas que que você fez depois da prova?

Vivi - Então, fui pro interior da França fazer uma cicloviagem...

- Sério? Pra onde?

Vivi - Pro Vale do Luar, sabe?

- Sei sim, nossa, top hein!! Com quem você foi?

Vivi - Fui sozinha.

- Ah, mas vc fechou com uma agência?

Vivi - Fechei sim, uma agência super bacana que você escolhe o passeio, o nível de dificuldade, o estilo da hospedagem, se quer se hospedar em um hotel ou em um castelo, etc... Eles cuidaram de todo apoio logístico...

- Ah, então vc era a única Brasileira... tinha muita gente no grupo?

Vivi - Não... eu fui sozinha.

- Ah, era só você e os guias então?

Vivi - NÃO! EU FUI SOZINHA, S-O-Z-I-N-H-A...

- ahn?

[...]

Juro que eu não imaginava que uma viagem [ok, de bike..] em minha própria companhia podia soar como algo tão maluco para a maioria das pessoas.

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

Meia Maratona de Amsterdã - Prós e Contras

Fiz um post contando sobre a minha prova em Ams mas acho que faltou falar sobre o que achei da estrutura e do evento como um todo.

Bom, é tudo muito organizado e bem pensado. A feira é pequena porém bacaninha, até deu pra comprar umas coisinhas e gastamos mais tempo do que esperávamos por lá. Só que o evento é todo voltado para a Maratona, deixando a meia e a 8k como eventos secundários, para a família. Por exemplo: a inscrição da meia não dava direito à camiseta da prova [que aliás podia ser comprada por qualquer um, mesmo quem não tivesse corrido].

Outra coisa que li no regulamento é que a Meia Maratona não é ume vento competitivo e sim algo mais no estilo de confraternização, tanto é que possui apenas classificação geral e feminino/masculino [isso tem os dois lados bom e ruim, pois se você for bem, não será reconhecido por isso já que não é o objetivo da prova].

Durante a prova, percebemos isso nos seguintes detalhes:
- o percurso é estreito
- a largada é por número de inscrição e não por meta de tempo, o que me atrapalhou muito, pois a partir do 3º km eu tinha que desviar das pessoas e no caminho estreito muitas vezes ou tinha que ir pra calçada ou diminuir o passe até conseguir espaço [e isso foi até fim!!!]
- os postos de hidratação são curtos, exigindo que diminua e tome cuidado pra não atropelar alguém. No primeiro posto, aos 5k eu deixei para ir na última mesa e chegando lá descobri que só tinha banana, com isso tive que voltar pra pegar água!!! 

Outro detalhe é que o clima foi incrível, mas o vento as vezes atrapalha e aí o jeito é colar atrás daquele armário que está no mesmo ritmo que você [infelizmente não encontrei nenhum armário no meu ritmo e o jeito foi fazer força mesmo rs].

Fora isso, só tenho elogios à prova. O guarda volume foi muito acessível, as pessoas são educadas, tinha gente ao longo do percurso motivando e distribuindo água pra gente, bandas e DJ's são sempre bem-vindos, e o percurso [dizem] que é lindo. Eu só lembro do Vogel Park por causa do vento e depois disso só lembro realmente do pórtico! rs

A prova acaba dentro do estádio que é cheio de gente [eu também não reparei nisso]. Se você pretende fazer essa prova, fique atento para dar o sprint final na hora certa, pois depois que entra no estádio ainda tem meia volta olímpica para dar! [eu não me atentei a isso e quebrei na reta final]

Bom, acho que é isso! Quem quiser mais info é só entrar em contato vivianefavery@gmail.com

segunda-feira, 17 de outubro de 2011

Meia Maratona de Amsterdã - 2011

Aconteceu ontem, dia 16/10, numa das cidades mais descoladas do mundo - Amsterdã - a Maratona da Mizuno.

Eu e a Martha decidimos fazer essa prova em Fevereiro para acompanhar o T [namorado dela] que ia fazer a maratona. A escolha dessa prova por nós foi feita pelos seguintes fatos: possui boas condições climáticas [ontem ficou entre 8-13ºC], é plana e possui uma meia maratona + 8k junto [ou seja, perfeito pra "família" e pra quem quer fazer tempo]. Sem contar que é em Amsterdã né, que cidade incrível....

O meu treinador gostaria que eu focasse por 4 meses nos treinos para essa meia, mas de cara eu falei que isso não ia rolar, que quando chegasse a prova eu ia dar meu melhor e ponto. Eu não quis abrir mão do que eu mais gosto [aventura, mtb...] justo quando está começando a ficar legal.

Mas dei uma estrapolada no volume de provas em Agosto, o que me afastou do asfalto por 2 semanas [fiz deep running para não perder condicionamento], + 1 voltando aos poucos + ultima semana de treino e + semana pré prova é leve. Ou seja, treinei mesmo até dia 13/08, 1 semana antes do Troféu SP que deu início à saga das 3 provas seguidas [aqui].

Me cuidei direitinho [dieta, fisioterapia, funcional, descanso..] e vim pra Amsterdã para ver o que seria possível, no maior espírito kamikaze rock'n roll. Pronta pra fazer força e ficar com o coração na boca do começo ao fim.

Chegamos na cidade na quinta-feira, tivemos 2 dias para conhecer um pouco, passear, fazer comprinhas e concentrar. Eu estava tensa, sem saber o que/como seria. Meu treinador me passou uma planilha pra 1h45 e disse que se eu não fizesse abaixo disso, para nem voltar pra casa haha. ok coach.

No sábado eu tive todos os sintomas possíveis, piriri, febre, dor de garganta, taquicardia, essas coisas de pessoas ansiosas. Passou. Dormi com tudo pronto.

Diferente da Maratona, que largou às 9h30, a Meia largou às 13h30 - PERFEITO. Já estava menos frio, eu, a Martha e a Eva estávamos descansadas e deu pra descontrair antes da prova assistindo a chegada da maratona e torcendo para os corredores cujos nomes estranhos tentávamos gritar em incentivo nos 500m finais. Deu pra se divertir.

Quando chegou a hora aquecemos um pouco e fomos para a largada. Lá encontramos com o resto da mulherada da MPR, todas animadíssimas, cada uma com sua meta pessoal. Eu, como sempre, parecendo uma boba alegre na largada pulando cantando falando besteira... ainda bem que a Eva é pior que eu, encontrei alguém mais pilhada ainda!

Bom, vou resumir. Fiz força pra cacildes e quando dei por mim, estava num estádio, sentada no gramado, sentindo dores diversas [daquelas que passam depois] e com o garmin pausado no 1h42m14s. Demorou até associar o que tinha acontecido, mas qdo caiu a ficha rolou a emoção, claro.

Aos poucos a mulherada foi chegando e pude dividir aquele momento maluco pós prova/mta força. A cara delas qdo eu falava meu tempo me fez ter mais noção do meu feito. Fui muito bem!

Lembro que 1 coisa passou na minha cabeça no km final: vou terminar esse negócio logo para fazer um tempo bom e nunca mais ter que fazer outra m... dessas!

E lembro de outra coisa que passou assim que dei conta do meu tempo: vou ter que fazer outra prova, pois posso fazer muito melhor!!!

Além de não ter treinado direito, essa prova tem o percurso muito estreito, tínhamos que ficar desviando das pessoas o tempo todo, andando na calçada etc [a largada não é por rítmo e sim por numeração e eu larguei lá atrás]. E os pontos de hidratação são curtos o que exige que você diminua muito o pace. Esses são os pontos negativos dessa prova.

Ah, e a entrada no estádio que me quebrou, eu tava indo fechar pra 1h41 alto achando que a chegada era na entrada do estádio mas quando entrei no sprint da morte descobri que tinha que dar a volta olímpica. Nunca xinguei tanto, eu quebrei! Me deu taquicardia e eu me arrastei até o pórtico. O tempo oficial ficou assim: 1h42m17s.

Agora é curtir o momento [que delícia...] e depois eu decido qual será o próximo desafio. Já tenho algumas idéias, mas ainda não decidi nada. We'll see!

 Fui!

Obs: fiz um post sobre o meu ponto de vista da prova em relação à estrutura, organização e etc AQUI


Café da manhã do dia da prova com a Má
Na chegada da Maratona torcendo pros nossos amigos
Otávio, amigo nosso, passando nos 500mts finais abaixo de 2h55
Pai passando sub 3hs com a família toda!!!
Rumo ao guarda volume - preparação pra largada
Pós prova, felizes, metas alcançadas!!!
Nosso amigo Dinho com os primos - ele tb foi muito bem!!