Páginas

Minhas Aventuras

"After climbing a great hill, one only finds there are many more hills to climb"
Nelson Mandela

segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

Meu primeiro Triathlon - Troféu Brasil Santos 11.12.11 [5ª etapa]

Desde que me dou por gente, sempre quis viver o esporte ao ar livre.

Já fui expert em taco (ou bet), tocar o boi pro curral, fugir do ganço tentando chegar na margem do rio pra pescar, voleyball com a parede, tentativa de embaixadinha, caça ao pintinhos e outros. Não me encontrei em nenhum desses esportes, mas um pouco depois, com uns 11-12 anos descobri a corrida e o triathlon.

Comecei a correr com 15, pedi pro meu técnico de futebol me ensinar/treinar. Ele me levou no Ibira, explicou a importância do tênis adequado, me apresentou ao Polar, à volta do lago e me deu boa sorte!

Depois acabei agitando um grupo de corrida da academia, os treinos ficaram frequentes e eu participei de várias corridas de rua em SP. Barro Branco, SP Classic, Corrida de Natal da Corpore, Revezamento Pão de Açúcar e por aí vai.. Ah, teve uma nos EUA tb, a Bolder Boulder, em Boulder - Colorado (tradicional por lá).

Uma vez  a professora de educação física do terceiro colegial que cursei nos EUA reuniu todos os alunos no auditório para conversar sobre o que seria a aula dela naquele ano. No final ela perguntou se alguém naquela sala tinha interesse em se tornar um atleta profissional. E eu (hahaha fala sério..) levantei a mão.
Ela: -"What do you want to be?"
Eu: - "A triathlete".
Em um ano ela me deixou com corpo de atleta. Ok, não de tri, era mais uma tentativa de Rebeca Gusmão ou algo do gênero (todo mundo naquela aula foi obrigado a fazer hipertrofia o ano inteiro). Imagina o horror... kkk
Perto da formatura a professora tentou me convencer a participar daqueles concursos de mostrar os musculos (como chama mesmo? Esqueci agora). Afe, ainda bem que não fiz. Mas uma menina que treinava comigo fez e ganhou! óóó...

...
Depois de 1 ano fazendo corrida de aventura (foram 9) e MTB (foram 3) e completamente apaixonada por esses esportes, resolvi me aventurar no Triathlon. Minha assessoria é focada nisso e todas as minhas amigas de treino praticam. Não teve como resistir!

Pra primeira prova resolvi não me "fantasiar". Fui sem roupa de borracha e com minha bike road de alumínio. Nada de rodas, clip, elástico no tênis etc... Só uma caramanhola com gatorade pro pedal e um gel.
Na largada sempre fico naquele espírito bobo alegre, dessa vez feliz pensando que ia pular ondinhas rs.

Natação: não entendo NADA do assunto, mas acho que o mar estava bom. Tinha, apenas umas ondas tranquilas e a correnteza não estava um desastre, era "só" mirar pro lugar certo (como se fosse fácil né).

Chegar na primeira boia foi uma eternidade. O caminho pra segunda é perfeito, só que dura tipo 2 minutos e a volta pra praia não acaba nunca.

Tem uma foto minha saindo da água mas é arquivo ultra confidencial. TRASH!! Foram 16:30 nesse trecho.

Corri pra transição, peguei a bike e já queria montar nela, ainda bem que o coach estava do lado e gritou Nãaaaao (na verdade começou a rir de mim tentando tirar a bike do negócio que tava emperrada e querendo subir ali mesmo).
Transição
Corri até a linha, subi e parti pras ruas liiindas de Santos, nossa senhora, que pedal bonito.........NOT. Mas muito bem organizado. Bizarro só foi ver umas pessoas descendo da bike pra fazer o U (retorno). 20 kilometritos.

Ô pedal sofrido viu. Doia as "perna", garoava e a vista #sualynda muito motivadora (não mesmo). Parece um teste psicológico. Mas acabou em 38 minutos e parti pro "ataque final", a corrida. Prova mais "socação" ever, coração na boca full time.

Foram 5k de corrida, 2,5 de ida e 2,5 de volta. Foi nessa hora que me dei conta de que estava indo bem, pois não cruzava com as meninas que eu tinha como referência.


E aí começa o "countdown" da prova, cada metrinho a menos já é um alívio, não via a hora de acabar a tortura!!

Mas aí chegou o final!! Eeeeeee e completei meu primeiro triathlon short em 1h17min.
Pódio na categoria!!
Foi bastante estressante, mas conforme foi baixando a adrenalina e fui digerindo a experiência percebi que esse é só o começo..! :-)

Ah, alguns obrigados:
à Jujuba amiga e parceira que sem poder correr temporariamente (ou seja, tortura assistir a prova) foi torcer por nós e ficou até tarde comigo para que eu pudesse subir no pódio!!
às meninas do nosso pelotão caveirinha, ô mulherada forte!!
Maris minha fisio querida que me conserta toda semana e me proibe de ir pra Romeiros tipo.. 2x por semana.

Nenhum comentário:

Postar um comentário