Páginas

Minhas Aventuras

"After climbing a great hill, one only finds there are many more hills to climb"
Nelson Mandela

segunda-feira, 20 de agosto de 2012

Bike Fit

É difícil escrever sobre o Bike Fit sem estudo sobre o tema, pois se trata de um assunto muito técnico e que, por possuir diversas escolas e linhas de conduta, pode ser causar discórdia e polêmica.

Mas o fato é que independente da linha de pensamento do profissional de Bike Fit, fazê-lo pode ser um divisor de águas no relacionamento entre você e sua bike. É quase como comprar uma nova, de tão bom!

No Ativo.com achei uma matéria completa e objetiva sobre Bike Fit que vai matar a dúvida de quem ainda desconfia do procedimento, de sua funcionalidade e relevância. AQUI.

Vou relatar minha experiência.

Quando comprei a Brujita fiz um Bike Fit completo que me permitiu encarar as trilhas, treinos e provas com a segurança de que ela estava ajustada a mim.

Mas por ainda ter poucas "horas de vôo" acumuladas como biker, não tinha como identificar possíveis melhoras e desconfortos gerados pela posição na bike.

Sempre havia um excesso de informações captadas a cada treino que eu cuidadosamente tentava absorver. Muitas vezes esses inputs vinham em forma de belos tombos!

Ao longo deste ano fiz um intensivo e mergulhei nesse aprendizado. Horas de treino e dedicação, leituras, conversas e investimento.

Agora começo a colher alguns frutos de todo esse esforço. Tem sido possível obter mais clareza e fluidez na experiência. Estou me entendendo com o esporte!

Com isso veio a necessidade de refazer o Bike Fit - sim, o bike fit deve ser refeito/reavaliado de tempos em tempos, pois  a tecnologia evolui, os estudos se aprofundam, nós mudamos, nosso corpo muda e nossos objetivos e demandas também.

Marquei com o querido colega de treino Erick Azzi, mestre em Bike Fit, na Pedal Urbano, que possui uma salinha somente para isso (mas ele tb atende em domicílio), sabendo que ia preencher toda minha tarde.


O Erick é praticamente um terapeuta de ciclista! Ele simplesmente conserta seu relacionamento com a bike!

Trabalha com todos os tipos de problemas: suspensão, mesa, selim, guidão... ou mesmo melhorias onde nem sabia precisá-las, como prevenção de lesões.

Tudo começa com uma entrevista / anamnese sobre hábitos, estilo de vida, envolvimento com esporte, objetivos, etc.

Depois faz uma avaliação física de alongamento, utiliza algumas ferramentas específicas, faz algumas medidas e tudo é anotado na minha ficha.

Papeamos muito durante todo esse processo, aproveito para fazer perguntas, matar dúvidas, contar das últimas aventuras etc.


Depois de alguns procedimentos, o Erick confere a posição dos meus taquinhos (vergonha, estava cheio de terra!), faz algumas medidas e mais um ajuste é feito.

Conversamos sobre palmilhas, necessidade ou não de utilizá-las, formas de posicionar os pés sobre o pedal, teorias e etc. 

Vamos pra bike e os reparos acontecem por partes. Selim: altura, ângulo, tamanho, largura etc. Invertemos a mesa. Corrigimos a posição do manete, pensamos em manoplas melhores, regulamos o ângulo do trocador.

Calibramos a suspensão.

Detalhes. Muito detalhes. A soma deles faz uma bela diferença...

Funciona tanto que eu saí de lá reapaixonada pela Brujita, inspirada para cair na trilha e com a sensação de que eu e ela somos uma dupla perfeita!

Além da parte técnica, o Erick me ensinou tudo que eu ainda não tinha entendido sobre a suspensão da bike, calibragem e ajustes. Foi uma bela aula, professor!

Nesse final de semana fui pedalar na M-A-R-A-V-I-L-H-O-S-A Serra da Bocaina (divisa dos estados de SP e RJ) e pude estar o fit, ver estava tudo certo.


Minha maior queixa era uma dor muito forte no trapézio, que sumiu!

Ganhei também mais conforto no selim e nas palma das mãos que eram sobrecarregadas.

Todos os ajustes feitos e esse tempo investido pensando na minha relação com a bike se converteram em confiança e melhora da minha performance nas trilhas, downhils e afins.

Trilha no Parque Nacional da Serra da Bocaina
Ah se eu tivesse ido lá antes de encarar Compostela ...

Mas é tudo válido.. é a preparação para o Brasil Ride, que não vai ser fácil.


Obrigada Erick!

E fica a dica para quem curte pedalar, independente de levar ou não o esporte a sério: faça o Bike Fit, entenda a sua bike e faça com que ela se ajuste a você. Será possível aproveitar melhor o Caminho...

Contato do Erick: erickazzi@hotmail.com

Um comentário:

  1. Valeu Vivi!!!!
    Desejo sempre ótimas pedaladas e que aproveite a sua Brujita em sua plenitude.
    Bjo.

    ResponderExcluir