Páginas

Minhas Aventuras

"After climbing a great hill, one only finds there are many more hills to climb"
Nelson Mandela

quinta-feira, 2 de agosto de 2012

Relato do Caminho de Santiago de Compostela - 4º dia

Dia 4 - Carrión de los Condes a Leon

23/06
Pulamos da cama, alimentamos as lumbrigas com bolinho de chocolate (só o Xuxa pra me fazer comer essas coisas - gostosas, diga-se de passagem) e exatamente às 7:28 subimos em nossas bicis para passar uma bela friaca!

Para vocês visualizarem onde estávamos!
8 graus era a temperatura. Lembrando que a cada 10km/h na bike a sensação térmica cai 3 graus.
É, brutalidade mode ON. Além do shorts, meia e camiseta, coloquei a camiseta dry fit de manga comprida da Kailash (salvação #2), o manguito e o corta vento.

A faixinha de cobrir a orelha havia sido despachada pelo correio em Logroño no 2º dia, pois entrou na lista de ítens dispensáveis (para vocês verem como realmente é complicado carregar qualquer coisa nas costas num pedal desses).

E iniciamos nosso Caminho até León. Ele prometia ser plano e curto. E isso na Espanha significa 95km e 500mts de ascensão.

O objetivo era chegar lá na hora do almoço para curtir a cidade, passear e ter uma tarde de descanso! Aí sim!!

Assim como nos outros dias, o sol brilhava, não haviam muitas núvens no céu e não podíamos reclamar de muita coisa. Estava tudo dando muito certo.

Durante todo pedal cuidei muito do meu braço direito. A fadiga faz querermos mudar a posição correta e acho que isso fez pinsar um nervo.

Nos momentos em que a dor ameaçava aparecer eu me concentrava e mentalizava a distribuição das energias. Buscava um equilíbrio nos apoios (mãos, braços, ísquio e pés) para não sobrecarregar nenhuma região. Claro que quem banca isso é o abdomen. Santo Marcão (funcional)!

É nessas horas também em que valorizamos a escolha de um bom produto, agradecemos por ter pago um pouco mais em tal equipamento ou por ter testado o uso de outro. A sapatilha tem que ser perfeita, por exemplo.

Eu precisava de uma luva mais acolchoada na região "gordinha" da mão para ficar mais confortável. Depois do pedal passei alguns dias com essa área meio dormente. Na verdade acho que até hoje. Será imprescindível para o Brasil Ride.

Não preciso nem falar do selim, né? Se ele não for correto pra você, esquece! Vai doer de qualquer jeito, imagina com o selim errado então.

E fomos indo. A brincadeira do dia era usar o embalo das "descidas" para ver quem conseguia ir mais longe sem pedalar.

Valia de tudo, até entrar no meio do quadro da bike, hehe
Confeço que deixei ele ganhar algumas vezes só para vê-lo feliz (hehehe mentira).

A gente se divertiu...


Passamos por alguns pueblos fofos durante o dia.


Algumas pausas necessárias, pitstops e afins.


O Xuxa me contou do frio absurdo que passou com o Rodrigo nessa cidade aí. Deve ter sido punk mesmo.

Engraçado era quando os caras dos lugares lembravam dele. Fala sério!!! Esse chico faz história viu.

E com 5h38 de transição, por volta das 13hs entramos no centro histório de León em busca do hotel onde o Xuxa havia se hospedado com o Rodrigo no ano passado.




Logo na entrada desse centrinho (onde apenas carros autorizados e transporte público podem ir) demos de cara com esta linda igreja.


Havia um certo movimento em volta dela, fiquei curiosa e parei um pouco. Sim, era um casamento!



E o noivo estava recebendo ajuda dos familiares para acertar o nó da gravata!


A cidade estava bem agitada. E logo me dei conta: era sábado!!!

Ish, será que vai ter vaga no hotel?

Fomos indo. Na rua principal vimos o carro da noiva estacionado. Legal!

O hotel tinha disponibilidade e ficamos com um dos últimos quartos livres. Ainda nos livramos da tarefa pentelha de lavar as roupas: nos demos o luxo de mandar tudo pra lavanderia! Yeah.

Almoço (sujo mesmo), banho e partiu! Passeio turístico pela cidade.
Rota: a das lojas de bike! ahá, melhor impossível. Conhecemos tudo.

Ainda de quebra fomos parar num museu divertido que deixa os visitantes vestirem as armaduras dos guerreiros dos velhos tempos. Era armadura de verdade, super pesado.

Tem que ter pescoço forte, se olhar pra baixo cai de cara no chão! rs
Japa men em homenagem a seus ancestrais
A verdade é que León ROCKS!

Pessoas jovens, muitas famílias, filhos pequenos brincando livremente, um lugar alegre.

E os Espanhóis também estavam na expectativa da final da Eurocopa. Muita gente vestindo a camisa da Espanha e com bandeirinhas. Só se falava nisso. Era o dia da grande final!

Escolhemos uma "churrascaria" para jantar, quisemos aproveitar para fugir um pouco do "menu peregrino" e comer bem.
Cansados!
Caminhamos de volta pro hotel ainda com a luz do dia, que só escurecia às 22h.

Vimos muitas fachadas decoradas com flores nas varandas!
Estávamos ansiosos para ouvir notícias do Tour de France. O Prólogo seria no dia seguinte.

Aliás, eu nem imaginava o que me aguardava no dia seguinte...

Sigam-me os bons! E breve postarei sobre esse duro 5º dia.

Lembrando que a parceria dos nossos apoiadores KAILASH, GU, GORGEOUS EVENTOS e CAÇULA DE PNEUS e a assessoria da nossa querida treinadora ADRIANA NASCIMENTO, foram fundamentais nessa jornada. Vocês tiveram muita participação no sucesso de cada etapa vencida. Obrigada!!! 

Acompanhe aqui todos os relatos do Caminho:

Um comentário:

  1. Parabens pelo relato Vivi. Voce escreve muito bem. Parece que estou te vendo aqui na minha frente contando as histórias. É uma maneira envolvente, que prende o leitor. É para poucos. Parabéns!! Tenho muito orgulho de voce. Bjs - Mamae

    ResponderExcluir