Páginas

Minhas Aventuras

"After climbing a great hill, one only finds there are many more hills to climb"
Nelson Mandela

domingo, 30 de setembro de 2012

Brasil Ride - stage 6 - Mucugê-Mucugê

Esse estágio da Brasil Ride, na minha opinião, foi responsável por elevar seu nível de crueldade. O motivo é simples, sabe aquele trecho final que disse que era pior que o vietnã (subidona+areião+asfalto)? Então, depois de 80km socando bota em estradões, daqueles cheios de "costelas" (ou "cow ribs" como disse o tradutor do briefing) e falsos planos, REPETIMOS o percurso auschwitz do dia anterior. YES my friendz, wedidit. Foram 128 kilometros nessa etapa.
E nada tirava da cabeça do Xuxa o ataque aos Suiços. E pra ser sincera da minha tb não mas minha estrategie é ficar mais quietinha sempre, planejar na caixola e deixar as coisas fluirem... Logo na largada vimos que a pegada deles realmente era forte (a mão santa dele não largava ela) e deixamos eles irem. Ficamos num pelotão que tb não estava pra brincadeira tentando aguentar a pegada até o corpo pedir arrego.
Uma coisa muito legal que aconteceu foi que muitos duplas acompanharam de perto essa disputa com os Suiços e torciam por mim, me davam a maior força, ajudavam o quanto podiam.
Fiquei o máximo que pude nesse tiro e tentei com todas as minhas forças não largar deles, mas teve uma hora que não deu mais e tive que pedir pro Xuxa segurar um pouco. Ele estava numa sinuca de bico: ou ele me ajudava e se desgastava para que ficassemos no pelotão ou ele diminuia e colocava a cara no vento. E essa segunda opcao acabou prevalescendo.
Um novo pelotão se formou com quem vinha de tras, só que ninguem quis saber de nos ajudar dessa vez. Mto pelo contrario. E seguimos assim por um bom tempo.
Quando chegamos no 1• apoio ja estavamos moidos e resolvemos que seria um dia para pegar leve o máximo possível. Desencanamos de classificação e pedalamos para acabar com o sofrimento.
A chegada da serra final significava o conhecido, isso era bom. A dupla do Ceara nos alcancou e tentou um ataque, mas a gente tb não ia dar moleza. Atacamos 2 vezes e la pelas tantas combinamos de andar juntos ate o final, sem ataques. Yes, assim seria perfeito!
Só que.... uns fanfarrões apareceram pra acabar com o nosso sossego, esses sim no mais fiel espirito faca na caveira!! Era a Dedé e o Beto com mais uma dupla mista e outros marmajos aproveitando o vácuo deles. Tiveram um problema mecanico e quando voltaram pra prova estavam literalmente espumando, prontos pra engolir a piramba. E quando faltava aproximadamente 5km pra chegada nos passaram a no minimo uns 35km/h (amigos speedeiros, tentem pedalar a essa velo de mtb no asfalto com o vento na cara..). Oh God!
Olhei pro Xuxa, ele olhou pra mim e qdo eu olhei de novo vi que meu parceiro tinha encarnado o Cavendish. Ai caramba... Era pra ir pra morte!
OKAY.
Fomos num "pega" alucinante até a chegada. O Xuxa tentou puxar algumas fugas (acho q só serviram pra me quebrar hehe) e passamos a linha de chegada 1s atras dos nossos amigos Beto e Andrea Catani, e 1s na frente das outras duplas tb mto queridos. É, a mulherada não ta fraca não! Sabe, ate que foi divertido. Mas não recomendo isso em casa.

sábado, 29 de setembro de 2012

Brasil Ride - Stage 5 - Rio de Contas - Mucugê

Essa foi a etapa de ante-ontem. Foram 128km com 2.000 e alguma coisa de ascensão. Ela começava com uma subida ardidinha (o downhill do dia anterior), descia e ficava num sobe e desce até subir pra valer lá pelo km 80. Depois disso vinha um areião interminável (tão chato que o trecho ganhou um status de ser pior que o Vietnã) seguido de 15km de asfaltoZzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz.
Foi o meu melhor dia, acho que eu estava no auge do meu preparo físico! Nosso ritmo estava bom e no 1o apoio deixamos os Suiços pra traz. A m..... é que no apoio seguinte (antes de começar a subida) meu câmbio começou a apresentar problemas e pedi pros caras olharem. Enquanto isso fui pegar uma coca e qdo olho eles estão trocando todo cabo do câmbio!!!! My God! E o desespero! Nisso se foram 10 minutos, tempo que havíamos aberto dos concorrentes. Eles chegaram abasteceram e zarparam na nossa frente. A bike ficou pronta e corremos atras deles mas o ritmo constante e firme do E.T. Suíço era quase impossível de acompanhar. Como ele empurra a menina O TEMPO TODO, tentamos alguns ataques/fugas, sem sucesso pq eles conseguiam neutralizar (pra nao falar "calar nossa boca") hehe.
O engraçado foi que todos os caras que estavam com a gente compraram nossa briga e ficavam torcendo por mim.
Quando chegamos no asfalto juntamos um pelote de 3 equipes e fomos indo. Já estávamos muito desgastados e eu ia puxando (pra vcs terem idéia que tava todo mundo moído mesmo). O ritmo acelerou e quando percebemos havia uma dupla lá na frente que parecia ser os Suiços. Pra que????? Ai papai do céu. Começamos o pega. O Xuxa puxava um pouco depois eu puxava mais um tanto e fomos socando o pau com o vento na cara tentando colar nos verdinhos. Nosso pelote quebrou, só os portugueses conseguiram ficar mas mesmo assim só pegando roda. Olha, vou falar uma coisa proceis: nos pedalamos, viu. Caramba...
No final aqueles verdinhos nao eram os Suiços e sim uma dupla mista. O E.T. e sua parceira abriram 10 minutos da gente naquela serra! Ele provavelmente já tinha esse ataque todo planejado...
Bom agora são 8am, daqui 2hs é a largada da ultima etapa!!! Depois escrevo contando de ontem e comp foi essa etapa de hj! Torçam pra q tudo ocorra bem!!!!
Fui!

quinta-feira, 27 de setembro de 2012

Brasil Ride - stage 4

A 4a etapa da Brasil Ride foi uma alça de 81km ao redor de Rio de Contas com uma bela altimetria (+2.300) e um incrível single track por uma floresta encantada, grande parte dele em downhill.
Como de costume, segurei na largada para conseguir aquecer e tb sentir o corpo (minha lombriga estava de mal cmg) para poder desenvolver depois. A Dri me preparou direitinho e eu estava pronta para zerar a parte tecnica, era só não afogar antes de chegar la.
Durante o single nos encontramos com ela e a Dani Genovese, e me lembrou que eu podia seguir confiante! E com ajuda do Xuxa que narrou empolgadamente cada manobra que ia fazendo conseguimos passar duas fortes duplas mistas!
Se não fosse um atropelamento no final eu teria zerado td mesmo! mas durante uma tentativa não planejada de um RL (qdo vc epina na roda da frente) o moço na minha cola acabou em cima de mim. Ihihi historias pra contar...
Seguimos, sobrevivemos ao "forno" (tem um trecho dessa prova que consiste em e entrar em um forno disfarçado de cenário) e no último pc tive que fazer uso do banheiro ecológico antes do downhill ate o final da prova.
Fechamos a etapa em 5• lugar e abrimos incríveis 30 segundos dos suiços (diríamos que o mocinho é um João Marinho dos Alpes, um ET!).
Acabei exausta, estava só o pó. Foquei na recuperação para agüentar a etapa seguinte (que foi hoje) - a volta de rio de contas pra Mucugê em um pedal de 128km.
Ah, a Martha me perguntou sobre as camisas, deixa eu explicar! Cada líder de categoria (dupla masculina geral, dupla masculina master, grand master, feminina e mista) deve usar uma camisa que destaca ele como líder (a ser combatido!). Amarela é o lider geral, verde mista, laranja feminina, rosa grand master, azul master, branca melhor equipe brasileira!


terça-feira, 25 de setembro de 2012

Brasil Ride - stage 3 -XC Rio de Contas

A etapa de hoje foi um Cross Country aqui em Rio de Contas. Eram 5 voltas em um circuito de aprox. 7km e as duplas podiam andar separadas. Os tempos dos 2 seriam somados e a média resulta no ranking. Além disso, uma boa regra: assim q o 1• colocado na geral cruzasse a linha de chegada, ninguém mais podia iniciar uma nova volta (e as voltas faltantes de cada atleta seria o tempo de sua volta mais lenta). Ou seja, estavamos todos torcendo pro fofo do Português ganhar logo! Hehe
Eu e a maioria das meninas conseguimos dar 3 voltas. O Xuxa deu 4. Demorei um pouco pra acertar o ritmo, mas qdo ele encaixou, segui firme.
Essa foi a minha primeira vez fazendo uma prova sozinha!! Sucesso =)
Qdo cruzei a linha de chegada larguei a bike e fui correndo para um lugar esperar o Xuxa passar pra torcer por ele!
Apesar se mto duro,literalmente "curto e grosso", foi show!
Ja fiz minha massagem e agora só me resta alimentar a lombriga que não para de gritar!
Fui!

Brasil Ride - stage 2 - Mucugê-Rio de Contas

O 2• estágio da Brasil Ride (Mucugê-Rio de Contas) é o mais punk de todos. Ele é longo -148km- e emenda uma série de trechos técnicos que exigem o melhor de nossas habilidades. Os trechos menos técnicos são serras e o trecho plano mais comprido é um belo areião. Pra vocês terem idéia, um desses trechos técnicos de single track foi carinhosamente apelidado de Vietnã.
E quando acaba vem um downhill que poderia tranqüilamente se chamar Auschwitz. Pois é, talvez esse combo deixe a Brasil Ride até pior que o Cape Epic, como colocou um amigo Bruto.
Eu e o Xuxa partimos firme para manter a boa colocação que conquistamos no primeiro dia. Logo no começo, na parte do areião, sofri um capote forte e machuquei o ombro. A dor me acompanhou pelas 9hs seguintes de pedal. Fiquei mais tranqüila depois que o primeiro campeão olímpico Bart (meu brother) me contou q tb caiu e levou com ele mais 6 moços do pelotão. É nois!
Quando conseguimos recuperar todo tempo perdido com a queda, entramos em uma disputa com a dupla da Suíça. Eu estava segurando nas descidas (por causa da dor no ombro) e era aí q eles nos passavam, mas nas subidas a gente passava de novo. Quando estávamos prontos pro ataque fatal senti meu pneu esvaziando. Sim, essa foi a 1a pausa para arrumar pneu.
Depois disso paramos mais 3 vezes. Sim 3 VEZES, totalizando 4 furos/rasgos. Perdemos um tempo incalculável e a essa altura estávamos preocupados com o corte. Depois percebi que essa preocupação era desnecessária mas seguimos tensos.
Pedalamos um tempão com a dupla da Romênia, pai e filha, uma dupla muito querida! Essa parte -de conhecer novas pessoas, fazer amizade e compartilhar historias- é uma das minhas favoritas disso tudo.
Na ultima serra conseguimos passar mais uma equipe e chegamos em 8•.
Ufa! Rio de Contas, I love you!
Depois disso me restou fazer muuuito gelo no ombro (fui no medico, não é nada sério, no máximo uma estiradinha no ligamento) comer bem e dormirZzzzz.



domingo, 23 de setembro de 2012

Brasil Ride - Stage 1 - prólogo

Ficamos em 6• lugar!!!! A equipe Gantuá de Salvador ficou com a quinta colocação, e as outras 4 equipes eram gringas com excessão dos 1os colocados - o menino da dupla é o Matheus que corre com a alemã super biker Ivonne.
Fiquei muito contente com meu desempenho, pois nosso tempo foi muito bom! Incrível o quanto estou melhorando na parte técnica.
A largada foi de 2 em 2 com intervalo de 1 minuto entre cada largada. Nós saímos com a Raquel Gontijo e seu parceiro. Disputamos por muito tempo até conseguir fazer uma ultrapassagem consistente e manter o ritmo da fuga.
O mais importante agora é descansar direitinho para a etapa de amanha que é a mais longa de toda prova. Serão 148km e a expectativa é fazer o percurso em até 10hs. Vamos passar muito calor e temos que cuidar com a hidratação.
Foi muito bacana ver os amigos no pódio hoje como lideres de categoria. A dupla Adri Nascimento e Dani Genovese são donas da camisa laranja!
Os portugueses estão em 1• na geral na frente da milka e da bmc.
Brasil Ride é DEMAIS!!!
Que venha a 2a etapa!

sábado, 22 de setembro de 2012

Brasil Ride - the day before the dream starts

Refizemos o prólogo e foi sucesso total! Estamos prontos pra prova!
Reencontramos com os amigos na pousada, almoçamos e formos retirar os kits - agora sim! Mala, manguitos, camiseta, cera lubrificante, plaqueta, adesivos e muita energia boa!
O plano do açaí de sobremesa nao pode ser realizado, recomendação da teacher de evitarmos sucos e outros alimentos feitos/preparados na hora que podem colocar em risco nosso sistema digestivo..
Voltamos para a pousada para preparar as bikes. Eu e o Xuxa caprichamos nas nossas. Adesivos dos patrocinadores e apoiadores colados com cuidado. Tudo isso faz parte do processo, a prova já começou!
Hoje vamos jantar com a turma, nao vejo a hora de dar o presente que compramos pra Dri! Ela com certeza nao vai ler esse texto hoje então posso contar pra vcs! A teacher vem preparando seus alunos para essa prova desde março deste ano. Training camps, sanduíches, dicas, cuidados, broncas e tudo mais. Estamos todos prontos pra guerra e foi a mestra que nos colocou na linha. Ela merece Mto mais que nosso presente mas é um jeito de mostrar gratidão!
Bom, é isso ai, ta chegandoooooo

Comilança na Brasil Ride

A matemática é simples: qto mais exercício físico, mais calorias gastas. Logo, após uma corrida de 600km em 7 dias, vocês imaginam que os atletas formarão um belo pelotão no mais perfeito Chaci grilo. Certo?
Não! O organismo do ser humano é muito inteligente! Ele entra em um "estado econômico" nesse pique e passa a armazenar toda gordura consumida. Isso é importante, só que ele demora algumas semanas pra sair desse estado e isso significa que.... A gente engorda pra valer!!! Yes! Vamos voltar rechonchudinhos!
Por isso estou aproveitando ao máximo esse carb load pré prova e comendo bem, pq depois é que a dieta vai pegar.

Prólogo

Ontem foi o dia de montar as bikes e fazer o reconhecimento do prólogo.
Montá-las foi um evento a parte! As filhas deram uma trabalheira pra gente. Essa história de esvaziar o pneu - com liquido - para viajar de avião é uma tristeza. Estavamos em 9 na mesma pousada, todos envolvidos nos ajustes das bikes alheias.
Só conseguimos sair pro prólogo depois do almoço. Partimos pra felicidade!
Ele é um aperitivo de tudo o que vamos enfrentar nos outros 6 dias de Brasil Ride. Muita areia fofa, pedras, rios, singles, paisagens de tirar o fôlego, escaladas em pedras e por ai vai. Nada fácil. O plano é nao errar, saber quando descer da bike e foco.
Hoje vamos repetir o percurso, dessa vez sem parar para sentir melhr como vai ser amanha.
O clima ontem amanheceu fechado. Se ficar assim vai ser bom pq qdo sai o sol o bixo pega!

sexta-feira, 21 de setembro de 2012

Brasil Ride começando

Estamos em Mucugê, base da prova. Para chegar aqui foi uma bela preregrinação: vôo SP Salvador, vôo teco-teco Salvador Lençóis, em lençóis calor de 35•C van sem ar condicionado em 13 pessoas. 150 km até Mucuge! Esta que quebrou e quase nos deixou na mão. Mas tanta gente legal junto nao deixou o perrengue nos atingir! E chegamos na pousada, ao lado da base da prova!

A cidade esta agitadíssima por causa das eleições. Aqui meu carro vale ouro com aquele sub wofer atras!

Jantamos na Pizzaria da Mama, 8 pizzas em 8 pessoas. Ai sim!

terça-feira, 11 de setembro de 2012

Caminho de Santiago de Compostela - A Missa do Peregrino

Quarta-feira, 27 de Junho de 2012 -  Meio dia - Catedral de Santiago de Compostela.

Lotada.

Arrepiada só de pisar dentro.

Meu cantinho foi este:


E foi daí que me emocionei com o canto gregoriano da freira, com a simplicidade e maestria com que ela cantava (tão delicada com tanta potência, com certeza é um ser humano imenso por dentro!), com a voz e as palavras do padre, com os outros peregrinos emocionados, com a beleza de cada detalhe daquela catedral, com a minha peregrinação nesses últimos 26 anos, com o desafio que enfrentei nos últimos 6 dias e comigo mesma, me emocionava por estar tão emocionada.

Enquanto eu me emocionava, o Xuxa - peregrino repetente (pessoas como ele precisam fazer o caminho algumas vezes pra pagar todos os pecados! rs) - fez belas fotos:









Gratidão

Para a nossa surpresa, a missa terminou com uma cerimônia que só acontece nas missas dos domingos: os monges entraram e ergueram aquele enorme cálice de fumaça que foi balançado com muita força sob nossas cabeças. Para lembrar da fé infinita, da proteção divina e das boas energias que conspiram a favor. O amor é imensurável quando você deixa ele trabalhar...

Amém.



Quando a missa acabou, saimos da catedral pela entrada principal.



Fiz minha última reverência. Um encerramento desta jornada. 
E comecei a pensar em boas coisas para a que começava naquele instante.

Se entre trancos e barrancos puder viver momentos como este, tudo faz sentido.

Muito obrigada a todos que me acompanharam até aqui, que enviaram mensagens e puderam presenciar esta viagem tão especial.

Agradeço também aos apoiadores Kailash, Caçula de Pneus, Gorgeous Eventos e GU que colaboraram para que tudo isso fosse possível. Valeu!!!

 Fim.

Acompanhe aqui todos os relatos do Caminho:

Dia 4
Dia 5
Dia 6 - A Chegada
Quando acaba a peregrinação