Páginas

Minhas Aventuras

"After climbing a great hill, one only finds there are many more hills to climb"
Nelson Mandela

quinta-feira, 29 de novembro de 2012

Dia feliz!

Ainda não sei o quanto gosto de morar em São Paulo.

Não sei se desgosto suficiente para me mudar daqui nem se gosto tanto a ponto de abrir mão de oportunidades de fugir para lugares menos hiper-urbanos.

Só sei mesmo é que hoje foi um dia feliz, realizei um sonho!! De verdade!

Muito simples, sai pro meu treino pedalando de casa.

Algo tão simples para muitos, talvez para a maioria dos ciclistas. Pra mim uma possibilidade sempre bem distante.

Meu amigo Legionário Men, parceiro de treino e vizinho de bairro me mandou um whasapp ontem à noite propondo essa fanfarrice. Topei e lá fomos nós.

Os cerca de 45min que gasto em transição/trânsito casa-usp usp-casa foram revertidas em horas pedaladas o que inflacionou minha felicidade em milhões. Além dos sorrisos.

E o mega trânsito que peguei à tarde nem me aborreceu... :-)

Voltamos pela ciclovia da Marginal Pinheiros

segunda-feira, 26 de novembro de 2012

L'Eroica - o ciclismo autêntico: romance e esforço

Se eu fosse você, separava 20 minutos desta 2ª feira para assistir a este vídeo. Não precisa ser ciclista ou esportista, pois se trata de um romance.

ENJOY.


L'EROICA (english version) from Edouard Sepulchre on Vimeo.

segunda-feira, 19 de novembro de 2012

Dica de amiga - para quem está começando no esporte

Eu sei que a maioria de vocês é um pouco mais esperta do que eu e talvez dêem risada das minhas dicas aqui, mas se eu ajudar pelo menos uma pessoa já vai estar valendo. 
Aí vai a dica então, estão preparadas?

MENINAS, EVITEM MARCAS DE SOL!!! EVITEM!!! Evitem, evitem, evitem! Simplesmente evitem! Ok?

Quando comecei a treinar (corrida a pé) achava até divertido ficar com a marca do relógio no pulso, da meia/tênis e do top nas costas.

Mas conforme o tempo foi passando e o treino se intensificando - e eu mudei de modalidade da corrida para o mountain bike (que fica muito mais exposto ao sol) - percebi que eu só gostava das marquinhas porque antes elas saiam facilmente.

Meninas, eu virei um arco-íris ambulante de tons pastéis de moreno, amarelo e branco com mesclas de machucados de diversos tamanhos e modelos pelo corpo inteiro.

Vamos lá: cada ombro tem seu machucado, antebraço direito inteiro, joelho direito, canela esquerda e por aí vai.

Marcas de sol: mãos mais brancas que os braços que são mais queimados que os ombros que são mais morenos que a dorsal. E as pernas são um show à parte, a marca da bermuda degradê em vários tons no quadríceps fica lindo!

Me sinto no direito de não ilustrar esse post. Justo né?

Então, fica a dica. Usem manguitos e pernitos desde o começo, muito protetor solar e sempre que tiverem a oportunidade um bainho de sol ajuda a amenizar o desastre estético.

Ah, se preparem para a cara da dermatologista na visita esporádica. Ela VAI te achar estranha (com grandes chances de rir na sua cara).

#ficaadica

sexta-feira, 16 de novembro de 2012

Coragem

Ontem, assistindo a um documentário no Canal Off (num preciso nem falar que é o favorito disparado né? Pra não dizer que é o único que eu assisto) sobre uma das aventuras do Luigi Cani (paraquedista brasileiro) parei pra pensar sobre a loucura que ele estava realizando. 
Um vôo livre ao lado de um jato a trocentros metros do chão e apenas a 5 metros do jato. Para você entender do que eu to falando melhor mesmo é procurar no youtube ou torcer por uma reprise no Off.

O ponto é que para que ele conseguisse realizar seu objetivo ele precisou repetir manobras hiper arriscadas diversas vezes. Amparado por uma equipe gigante e por um patrocinador que apostou nesse desafio, ele foi até o fim, até conseguir o que havia sonhado.

Reparei na dimensão do seu feito... comecei a pensar nos meus, nos meus sonhos, nas minhas realizações, na proporção que as minhas escolhas tem tomado na minha vida (e, logo, na vida de quem está ao meu redor) e só pude constatar uma coisa: não importa qual seja, precisamos de uma baita dose de coragem para ir atrás da realização de nossos sonhos. E um segundo shot de coragem para de fato fazê-lo.

Reflitam...

Site do Luigi: http://cani.tv/videos/

terça-feira, 13 de novembro de 2012

Granfondo Ubatuba 2012 [mediofondo]

Como contei no post anterior [aqui], neste domingo participei da minha primeira prova de ciclismo, a Granfondo de Ubatuba.


Mas antes de falar da minha experiência, queria contar um pouco sobre o esporte para quem é pouco familiarizado com ele: existem diversas modalidades, sendo que cada uma delas exige um treino e um equipamento diferente.

Largada do BMX feminino nas Olimpíadas de Londres 2012 - totalmente diferente do q eu pratico!
Por exemplo, meu foco está nas ultramaratonas de mountain bike (como a Brasil Ride) que são provas de vários dias, de longa distância (ou famoso endurance).

Mas além desse estilo, também existe: (lembrem-se que eu não sou super especialista, bike tb é novidade pra mim, estou aprendendo!)
 
- Maratona de MTB: começo e fim de prova no mesmo ponto, dando uma volta única e longa (entre 70 - 100km) que exige um atleta completo: força, técnica e resistência. Normalmente pega estradões de terra e sobe longas serras.

Largada Big Biker 4ª Etapa - Foto da Mari Ignatios
 - XC - Cross Coutry: circuito fechado e técnico, o atleta dá voltas nele. A prova costuma ser rápida (quando comparada à uma maratona de 70km) e exige o máximo de explosão e força. Mountain Bike.

Trecho do circuito de XC das Olimpíadas de Londres 2012
XC nas Olimpíadas de Londres 2012
- DH - Down Hill: como o próprio nome já diz, se trata de descer um morro/montanha/circuito. Bike de DH (mais pesada e com geometria adequada, bem diferente da MTB de XC ou maratona). Kamikaze!

- 4X - Four Cross: tipo down hill só que com obstáculos, pulos e tudo mais. Super kamikaze! 
 
- Ciclismo: percurso em estrada, bike speed, prova pouco técnica, de velocidade e muita estratégia.

Prova no velódromo - infinitas categorias/modalidades
- Contra Relógio: largada individual, cada um conta um tempo e compete com o tempo do outro, percuso em estrada, bike speed adaptada para esse tipo de prova, que é pouco técnica.

Wiggins no contra relógio do Tour de France (ele ganhou!)
- Cyclo Cross: uma espécie de XC só que com bike estilo speed adaptada para o esporte. Super técnica, super explosiva, envolve muita lama e quase não existe no Brasil.


[essas são algumas modalidades apenas, existem muitas outras!]

Dito isso.. vamos lá!  

Gran Fondo é um estilo de prova de ciclismo que tem como característica a longa distância (entre 160-225km) com uma altimetria considerável, amadora e que atrai centenas (para não dizer milhares, dependendo da prova) de atletas.

(Não que eu fale italiano, mas descobri que) o próprio nome já diz: gran fondo = longa distância.

Dentro das Gran Fondos pelo mundo, existem as "Médio Fondo", que atende o ciclista que prefere fazer um percurso mais curto.

Granfondo de inverno - foto do site Bike Marazine
Dá pra fazer um paralelo com corridas de rua, na mesma prova costuma ter o circuito longo e outro menor. Utilizam da mesma estrutura para atender mais atletas.

Outra coisa é que os atletas concorrem com seus próprios tempos, pois comparam o resultado com os anteriores já que o percurso é sempre o mesmo e a idéia é que a prova aconteça pelo menos 1 vez ao ano.

No caso da Granfondo Ubatuba, optei por participar da Médio Fondo que seria de bom tamanho pra mim, com aprox. 100km.

A largada foi próximo ao centro da cidade e seguiu em direção à Paraty pela estrada mesmo (a volta pelo mesmo lugar).

Não, a estrada não estava fechada pra prova - isso é uma característica do ciclismo e das maratonas de mtb - temos que conviver com obstáculos móveis tais como carros, pessoas, cachorros e atletas mais desastrados!

[ A foto abaixo ilustra bem o que é um obstáculo móvel - nessa disputa da Brasil Ride vocês podem reparar que eu estou no meio do "caminho" - se é que dá pra chamar aquilo de caminho - carregando minha bike, isso é um perfeito exemplo do que é um obstáculo móvel de alto risco!]

Brasil Ride 2012 - Rio de Contas
Sim, é super tenso!


E é justamente essa tensão vs. prazer que define o quanto você curte ou não uma prova.

Papeando com a Mari após a prova!
Apesar do ritmo "socação" 100%, da tensão do perigo e da disputa constante, não vou esquecer do trabalho em pelotão com pessoas desconhecidas (um ajudando o outro), dos momentos em que cruzei com meus companheiros de prova e eles me incentivaram ou me ajudaram, do cenário lindo do nosso litoral e do meu próprio espírito competitivo.

O momento mais legal foi no final, pois havia uma outra mulher no meu pelotão e pude viver meu "momento Tour de France". Sabíamos que chegaríamos praticamente juntas, mas é claro que há uma disputa de quem vai conseguir cruzar a linha de chegada na frente.

E eu consegui me posicionar bem e encontrar a explosão que precisava para sprintar na reta final!
CHEGADA! Crédito da foto: Ivan Storti
Achei o máximo, me sentindo o próprio Cavendish rumo a linha de chegada! hehehe Não valia nada, apenas a alegria da brincadeira, mas foi super legal!

E apesar de me sentir estressada, acabei a prova feliz com sensação de missão cumprida: fiz força, não tive problemas sérios - apenas a corrente que escapou uma vez e tive que parar pra arrumar - e fui bem (apesar de ter muito o que melhorar).

Terminei a prova com 2h59min07s, em 5º lugar na categoria 25-34 anos e em 8º no geral feminino.

Agradeço a todos os meus amigos que me ajudaram na prova Mandetta, Manu, Aires e Rapha, ao nosso apoio 10 Adri Nascimento e Flavinha, à torcida dos amigos Costa, Waltinho, Paola e Patê e à cia de todos os legionários presentes Erick, Fabinho, Thomas, Zé Luis e Walter. Sem contar é claro com quem não estava presente e torceu por mim (né Japa).


Com o Prof. Hélio
iuhuuu
Agradecimento especial aos apoiadores GU / Honey Stinger, Gorgeous Eventos, Caçula de Pneus e Kailash. Obrigada!!

Fonte: http://www.biciveneto.it/granfondo.html

sexta-feira, 9 de novembro de 2012

Granfondo Ubatuba

Yes! Amanhã viajo para Ubatuba com a super turma de amigos legionários farrapeiros Adri Nascimento para participar da minha primeiríssima prova de ciclismo, uma granfondo - na verdade farei a médio fondo - de 106km.
Dizem que a prova é legal, com vários sobes e desces, visual bacana, bom asfalto e boa organização.
Minha expectativa é conseguir fazer uma boa prova, sacar as malícias do pelotão sem ser deixada pra traz, não errar o ritmo na largada e cuidar para que tudo ocorra bem. Por enquanto a única estratégia que eu posso abrir é que vou contar com a roda dos meus amigos hihihi :-p
Será que eu vou conseguir? Aiai frio na barriga!
Essa é também minha primeira prova de bike solo, pois sempre competi em dupla!
Domingo eu venho aqui contar e mostrar como foi.
Wish me luck!
Fui!

quarta-feira, 7 de novembro de 2012

Toninho Loureiro e Carlos Soto - exemplos de vida e saúde!

Semana passada coincidentemente cruzei com estas duas figuras enquanto trabalhava no Salão do Automóvel. Não resisti e fiz uma pequena entrevista.
Aí vai, para quem estava precisando de um empurrãozinho pra começar os treinos eu diria que agora ficou sem desculpa!


segunda-feira, 5 de novembro de 2012

A BRUXA dentro de mim!

Não, não fui inspirada pelo dia das bruxas, festividades de halloween ou mesmo pela minha treinadora Adri Nascimento, carinhosamente apelidada de bruxa-mãe por seus alunos.
 
Fui na verdade inspirada pela corredora de ultramaratona [a pé] Jenn Shelton que foi uma das protagonistas do livro Born to Run do Christopher McDougall. Ele descreve uma menina serelepe, livre, desencanada, que se diverte correndo, mas correndo muito... e rápido.

Não conheço mais nada sobre ela [nem se quer me dei o trabalho de procurar uma foto para saber como ela é!], mas a narrativa do McDougall me inspirou.. e copiei o apelido que ele deu pra ela - La Brujita - e batizei minha bike.

E desde que a Brujita chegou, só me surpreendi... principalmente com o que eu SINTO por ela.

Pois é... conversando com uma amiga ontem sobre essa questão de termos SENTIMENTOS por nossas bikes [que - convenhamos - não é algo tão normal], constatei que eu realmente sinto amor pela Brujita.

Mas como assim?? Da onde vem isso??

Conectei alguns pontos... 
Percebi que espelhei/personifiquei minha criança interior na Brujita.  
Fiz dela meu lado criança - ou adulto - o meu lado que é [e então pode ser] serelepe, fanfarrão e entrépido.

Com a Brujita, aprendi a ser mais eu, pude me assumir e me aceitar!

Essa bicicleta foi a ferramenta que organizou meu potencial e me transformou.

Descobri que esse amor que sinto na verdade é um sentimento que nasceu por mim mesma.

E então entendo que tenho uma bruxinha dentro de mim, e é como se ela tivesse passado anos a fio fazendo uma zona, causando o caos, voando insistentemente por todos os lugares possíveis  à procura de sua vassoura... até descobrir que o seu modelo vem com duas rodas, duas suspensões e tem freio à disco.

 

Downhill para iniciantes [não mesmo]

Nos dias 2 e 3 de Novembro a atleta brazuca Luana Oliveira levou o primeiro lugar no DH TAXCO, evento de downhill urbano que rolou na cidade de Taxco, no México.

Veja aqui o vídeo dela descendo o percurso no treino. Fala sério né gente.. e ainda brinca de empinar a bike entre os obstáculos. TOP!

Parabéns Luana!! Sou fã!! Me ensina a fazer igual a vc?



Training in Down Taxco no México from Luana Oliveira on Vimeo.

Fonte: Shimano e XRides

Rocky Man - BIKE

Vejam que legal esse vídeo do trecho de bike da Rocky Man que aconteceu neste último sábado no Rio. Prova histórica!!!

Foram 38km de mountain bike no asfalto. Apenas os melhores atletas do momento! O vencedor foi Edivandro Souza Cruz com 1h18min seguido de Ricardo Picheidt.


Rocky Man 2012 - Mountain Bike from TX on Vimeo.

Esse trecho contou com apenas duas atletas representando as mulheres: Manuela Vilaseca na equipe Ironman e a minha querida treinadora Adriana Nascimento na equipe 4ANY1. Elas com certeza apavoraram muitos homens!

Mais infos e fotos aqui: http://rockyman2012.com.br/ 

Fonte: Bikemagazine