Páginas

Minhas Aventuras

"After climbing a great hill, one only finds there are many more hills to climb"
Nelson Mandela

terça-feira, 13 de novembro de 2012

Granfondo Ubatuba 2012 [mediofondo]

Como contei no post anterior [aqui], neste domingo participei da minha primeira prova de ciclismo, a Granfondo de Ubatuba.


Mas antes de falar da minha experiência, queria contar um pouco sobre o esporte para quem é pouco familiarizado com ele: existem diversas modalidades, sendo que cada uma delas exige um treino e um equipamento diferente.

Largada do BMX feminino nas Olimpíadas de Londres 2012 - totalmente diferente do q eu pratico!
Por exemplo, meu foco está nas ultramaratonas de mountain bike (como a Brasil Ride) que são provas de vários dias, de longa distância (ou famoso endurance).

Mas além desse estilo, também existe: (lembrem-se que eu não sou super especialista, bike tb é novidade pra mim, estou aprendendo!)
 
- Maratona de MTB: começo e fim de prova no mesmo ponto, dando uma volta única e longa (entre 70 - 100km) que exige um atleta completo: força, técnica e resistência. Normalmente pega estradões de terra e sobe longas serras.

Largada Big Biker 4ª Etapa - Foto da Mari Ignatios
 - XC - Cross Coutry: circuito fechado e técnico, o atleta dá voltas nele. A prova costuma ser rápida (quando comparada à uma maratona de 70km) e exige o máximo de explosão e força. Mountain Bike.

Trecho do circuito de XC das Olimpíadas de Londres 2012
XC nas Olimpíadas de Londres 2012
- DH - Down Hill: como o próprio nome já diz, se trata de descer um morro/montanha/circuito. Bike de DH (mais pesada e com geometria adequada, bem diferente da MTB de XC ou maratona). Kamikaze!

- 4X - Four Cross: tipo down hill só que com obstáculos, pulos e tudo mais. Super kamikaze! 
 
- Ciclismo: percurso em estrada, bike speed, prova pouco técnica, de velocidade e muita estratégia.

Prova no velódromo - infinitas categorias/modalidades
- Contra Relógio: largada individual, cada um conta um tempo e compete com o tempo do outro, percuso em estrada, bike speed adaptada para esse tipo de prova, que é pouco técnica.

Wiggins no contra relógio do Tour de France (ele ganhou!)
- Cyclo Cross: uma espécie de XC só que com bike estilo speed adaptada para o esporte. Super técnica, super explosiva, envolve muita lama e quase não existe no Brasil.


[essas são algumas modalidades apenas, existem muitas outras!]

Dito isso.. vamos lá!  

Gran Fondo é um estilo de prova de ciclismo que tem como característica a longa distância (entre 160-225km) com uma altimetria considerável, amadora e que atrai centenas (para não dizer milhares, dependendo da prova) de atletas.

(Não que eu fale italiano, mas descobri que) o próprio nome já diz: gran fondo = longa distância.

Dentro das Gran Fondos pelo mundo, existem as "Médio Fondo", que atende o ciclista que prefere fazer um percurso mais curto.

Granfondo de inverno - foto do site Bike Marazine
Dá pra fazer um paralelo com corridas de rua, na mesma prova costuma ter o circuito longo e outro menor. Utilizam da mesma estrutura para atender mais atletas.

Outra coisa é que os atletas concorrem com seus próprios tempos, pois comparam o resultado com os anteriores já que o percurso é sempre o mesmo e a idéia é que a prova aconteça pelo menos 1 vez ao ano.

No caso da Granfondo Ubatuba, optei por participar da Médio Fondo que seria de bom tamanho pra mim, com aprox. 100km.

A largada foi próximo ao centro da cidade e seguiu em direção à Paraty pela estrada mesmo (a volta pelo mesmo lugar).

Não, a estrada não estava fechada pra prova - isso é uma característica do ciclismo e das maratonas de mtb - temos que conviver com obstáculos móveis tais como carros, pessoas, cachorros e atletas mais desastrados!

[ A foto abaixo ilustra bem o que é um obstáculo móvel - nessa disputa da Brasil Ride vocês podem reparar que eu estou no meio do "caminho" - se é que dá pra chamar aquilo de caminho - carregando minha bike, isso é um perfeito exemplo do que é um obstáculo móvel de alto risco!]

Brasil Ride 2012 - Rio de Contas
Sim, é super tenso!


E é justamente essa tensão vs. prazer que define o quanto você curte ou não uma prova.

Papeando com a Mari após a prova!
Apesar do ritmo "socação" 100%, da tensão do perigo e da disputa constante, não vou esquecer do trabalho em pelotão com pessoas desconhecidas (um ajudando o outro), dos momentos em que cruzei com meus companheiros de prova e eles me incentivaram ou me ajudaram, do cenário lindo do nosso litoral e do meu próprio espírito competitivo.

O momento mais legal foi no final, pois havia uma outra mulher no meu pelotão e pude viver meu "momento Tour de France". Sabíamos que chegaríamos praticamente juntas, mas é claro que há uma disputa de quem vai conseguir cruzar a linha de chegada na frente.

E eu consegui me posicionar bem e encontrar a explosão que precisava para sprintar na reta final!
CHEGADA! Crédito da foto: Ivan Storti
Achei o máximo, me sentindo o próprio Cavendish rumo a linha de chegada! hehehe Não valia nada, apenas a alegria da brincadeira, mas foi super legal!

E apesar de me sentir estressada, acabei a prova feliz com sensação de missão cumprida: fiz força, não tive problemas sérios - apenas a corrente que escapou uma vez e tive que parar pra arrumar - e fui bem (apesar de ter muito o que melhorar).

Terminei a prova com 2h59min07s, em 5º lugar na categoria 25-34 anos e em 8º no geral feminino.

Agradeço a todos os meus amigos que me ajudaram na prova Mandetta, Manu, Aires e Rapha, ao nosso apoio 10 Adri Nascimento e Flavinha, à torcida dos amigos Costa, Waltinho, Paola e Patê e à cia de todos os legionários presentes Erick, Fabinho, Thomas, Zé Luis e Walter. Sem contar é claro com quem não estava presente e torceu por mim (né Japa).


Com o Prof. Hélio
iuhuuu
Agradecimento especial aos apoiadores GU / Honey Stinger, Gorgeous Eventos, Caçula de Pneus e Kailash. Obrigada!!

Fonte: http://www.biciveneto.it/granfondo.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário