Páginas

Minhas Aventuras

"After climbing a great hill, one only finds there are many more hills to climb"
Nelson Mandela

terça-feira, 28 de maio de 2013

Relato BolderBOULDER 10k

Alguém aí já ouviu falar de alguma corrida de 10 kilometros que consegue reunir mais de 50.000 corredores? Só para terem uma idéia do que isso representa, é como se o Estádio do Morumbi em São Paulo estivesse lotado, e todas as pessoas fossem participar do evento. 


Claro que todas essas pessoas não estão lá só para correr 10 kilometros... é que a cidade de Boulder, no Colorado (EUA) onde essa corrida acontece, é um lugar meio.. mágico, diga-se de passagem. 



A corrida conta com um super envolvimento da comunidade e com uma estrutura de organização e segurança impecável (principalmente depois do que aconteceu em Boston). 

A cada esquina do percurso tem uma banda tocando, um show de dança acontecendo, um grupo de cheerleaders fazendo malabarismos na cama elástica, crianças jogando água nos corredores ou pessoas esperando por alguém querido passar para torcer e dar uma dose extra de energia.
Largada da minha "onda"
Largada em "ondas" de acordo com o pace do atleta
Acrobacia na cama elástica!
Acrobacia na cama elástica (esquerda)
Envolvimento e suporte da comunidade
Bandas ao longo do percurso
Deu pra entender agora por que que esse é o terceiro maior evento dos Estados Unidos?

E quem não leu este post AQUI deve estar se perguntando o que que eu fui fazer lá... certo? 

Eu explico, fui cumprir uma promessa que fiz há 2 anos atrás com meu amigo americano John, quando ele pesava 30 kilos a mais e tinha uma vida sedentária. 

John usou a camiseta do Brasil que dei pra ele
Estávamos em Cancun curtindo as férias em família na Páscoa de 2011. Eu tinha meus treinos e conciliava o lazer com uma ou duas horinhas de academia por dia. O resto da turma não queria nem sonhar com academia... rs normal.

Em algum momento o John comentou comigo que estava disciplinado com suas caminhadas diárias na esteira recém comprada (menos nas férias..) e que já podia sentir os benefícios do exercício físico na sua vida. Fiquei empolgada com a novidade e aproveitei o gancho para tentar provocar mais interesse dele no esporte (quem me conhece sabe que eu posso ficar bem intensa querendo fazer as pessoas praticarem mais atividade física). E acabou que ele mesmo comentou que se mantivesse o "treinamento" firme, achava que poderia dar umas corridinhas de leve. Claro que eu fui além e disse que só bastava ele querer para conseguir correr a famosa BolderBOULDER 10k um dia. E foi aí que tudo começou. Aparentemente ele levou a idéia a sério e começou o desafio.

John, Lori, Matthew e eu
Um ano e meio depois dessa viagem pra Cancun, recebi um email dele contando sobre as recentes conquistas: pela primeira vez tinha conseguido correr 3km abaixo de 20min e que isso era suficiente para qualificar na BB. Contou também que tinha perdido 30 kilos através de exercícios e alimentação correta e que seguia firme com seus treinos diários. Me agradecia por tê-lo encorajado e disse o quanto esse processo influenciou positivamente na vida de toda família (Lori, esposa dele, também perdeu 30 kilos apenas através de exercício e dieta!).

Preciso dizer mais alguma coisa? Deu pra entender o que eu estou fazendo em Wyoming pela 7ª vez?


A corrida aconteceu nesta última segunda-feira, dia 27/05, feriado de Memorial Day (toda ultima segunda-feira do mês de Maio é celebrado nos EUA o Memorial Day em homenagem a todos os militares que morreram em combate). Foi a 35ª edição da BolderBOULDER 10k.

Diferente do John, eu não treinei nem um dia para essa prova. Minha ultima corrida a pé foi em Março numa volta de 7km que dei no parque porque não podia pedalar e antes disso tinha feito um trekking de 16k na Ilha Grande no Reveillon. E antes disso tinha corrido uns dias em novembro e era isso! 

Minha única preparação foi alongar muito e fazer fisio para soltar as pernas na semana passada justamente porque ia correr sem ter treinado. Mas deu tudo certo. Senti a altitude (Boulder está a 1.600 mts de altitude) e saudades da minha bike, mas consegui concluir a prova me sentindo bem e num tempo bom para quem não estava correndo (51min). Já o John me surpreendeu, correu para 1h04 e cruzou a linha de chegada pronto para fazer mais 10k. Claro que já estou pilhando ele para abaixar esse tempo e prometi acompanhá-lo novamente. Só agora caiu a ficha que há grandes chances dele dar na minha cabeça na próxima... aí quando isso acontecer eu vou desafiá-lo na bike (entendam, tudo faz parte de um plano maior...rs). Ele não lê português então ele não vai descobrir sobre o meu plano... ihihi

A caminho da largada
John concentrado pra corrida
Chegada no estádio
:-)
Beautiful day, lovely place, awesome people

quinta-feira, 23 de maio de 2013

Dica #2 - Ferramentas de bike

Pessoal, seguindo a sugestão de um leitor, aí vai a dica de aventura #2: Ferramenta de bike. Útil para quem está começando!
A idéia é também dar abertura ao assunto, já que existem infinitas multi-tools para as mais diversas situações.
Qual é a sua favorita e por quê? Manda pra mim para compartilhar aqui? vivianefavery@gmail.com
Divirtam-se!

quarta-feira, 22 de maio de 2013

Sobre o Ironman

Antes de mais nada gostaria de dar boa sorte a todos os amigos e colegas que treinaram pra caramba nesses últimos meses para chegar nesta semana, neste final de semana para ser mais específica, e dar o melhor de si no Ironman de Floripa.

Nunca fiz uma prova dessas, mas acredito que num Iron, o seu maior competidor, além da água, do vento e do asfalto, seja você mesmo.

Para quem não sabe bem do que estou falando: Ironman é uma modalidade do Triathlon no qual o atleta nada 3.8km em seguida pedala 180km para depois correr uma maratona (42.195km). Tem noção???

Enfim, com tanta gente próxima no processo de preparação para o Iron, acabei pensando bastante sobre o assunto e queria compartilhar algumas coisas que passaram pela minha cabeça.
 
1) a primeira é que essa prova mais me parece uma peregrinação do que uma competição!! Explico meu pensamento: passar 11, 12, 13, 14 horas conversando consigo mesmo, analisando o ambiente, entendendo o que o seu corpo está pedindo, concentrado, focado apenas no movimento do corpo e em suas necessidades básicas naquele momento, movido por um objetivo maior, lidando com o imprevisto, com as dores, sem dar mole pra elas mas também sem ignorá-las, etc... Isso tudo me lembra minha peregrinação do Caminho de Santiago de Compostela! É que fiz o caminho num ritmo alucinante, mas esse estado de presença completa e total que um Ironman exige por tempo tão prolongado numa atividade tão dura com certeza te coloca mais em contato com seus mais profundos anseios e questões e com certeza aquela emocão ao cruzar a linha de chegada depois de dar TUDO de si, para muitos é um momento divino (gratidão, força, realização... e quando tudo faz sentido!).

2) A segunda coisa é que os inteligentes utilizam essa experiência para crescer, amadurecer, se entender, se conhecer etc...

3) Num treino para o Iron, todo momento é hora de dar o melhor de si. Não tem como fazer mais ou menos... é o Ironman caramba! Quem segue essa filosofia já um campeão antes de ser dada a largada. (Alimentação balanceada, cuidado com equipamento, treinamento, respeito ao descanso, família toda envolvida, cabeça no lugar certo... )
4) Quem convive com um atleta que vai pro Iron também é um Ironman. 

5)  Eu quero fazer! Quero passar por esse processo, fazer a minha peregrinação e se possível ter meu momento divino. E aí sim falar com propriedade sobre essa prova tão bruta! Quem sabe um dia.. quando eu conseguir compartilhar a bike com outros esportes. Por enquanto não consigo nem pensar nisso!

Boa sorte a todos, fico na torcida para que seja uma experiência única, muito além de um resultado!

segunda-feira, 20 de maio de 2013

Big Biker 2013 Taubaté [2ª etapa]

Ontem competi na 2ª etapa do Big Biker em Taubaté. Foram noventa e alguns kilometros com um total de 1.900 mts acumulado de subida. Diferente da 1ª etapa, não enfrentamos nenhuma serra longa em sim 3 subidas e muitos trechos de falso plano e subidinhas.

Comecei a prova com um ritmo firme, mas segurando para o que vinha pela frente, ataquei a segunda colocada por volta do km 50, consegui abrir certa vantagem, mas durante os 30km restantes ela foi se aproximando e conseguiu chegar em mim no km final, já no asfalto. Ela tentou um ataque mas consegui ficar na roda. Tentei planejar a melhor hora de ultrapassá-la na reta final, mas ela conseguiu ficar firme no rítmo e chegou na minha frente.

Parabéns Maga e a todas as meninas que andaram muito nessa etapa!

E bora treinar!!!
O melhor do BIG é estar com os amigos
Evento para mais de 1.500 pessoas
Chegada
Nem precisava passar protetor...
Mulherada forte

sexta-feira, 17 de maio de 2013

Rise and Shine

Let's go the hard way. Rise and Shine, find your greatness.
 


6 am and your hand can’t make it to the alarm clock before the voices in your head start telling you that it’s too early, too dark and too cold to get out of bed.
Aching muscles lie still in rebellion pretending not to hear your brain commanding them to move.
A legion of voices are shouting their unanimous permission for you to hit the snooze button.
Go back to dreamland!
But you didn’t ask their opinion.
The voice you’ve chosen to listen to is one of defiance!
The voice that said there was a reason that you set that alarm in the first place.
So sit up.
Put your feet on the floor and don’t look back because we’ve got work to do.
Welcome to the grind!
For what is each day but a series of conflicts between the right way and the easy way.
10,000 streams span out like a River Delta before you each one promising the path of least resistance.
The thing is you’re headed upstream and when you make that choice, when you decide to turn your back on what’s comfortable, what’s safe and what some would call common sense.
Well that’s Day 1.
From there is only gets tougher!
So just make sure this is something that you want because the easy way out will always be there. Ready to wash you away!
All you have to do is pick up your feet.
But you aren’t going to are you?
With each step comes the decision to take another.
You’re on your way now, but this is no time to dwell on how far you have come.
You’re in a fight against an opponent you can’t see, but oh you can feel him on your heels can’t ya.
Feel him breathing down your neck.
You know what that is?
That’s you.
Your fears, your doubts, your insecurities all lined up like a firing squad ready to shoot you out of the sky.
But don’t lose heart.
While they are not easily defeated, they are far from invincible.
Remember, this is the grind, the Battle Royale between you and your mind.
Your body and the devil on your shoulders who is telling you that this is just a game. This is just a waste of time. Your opponents are stronger than you. Drown out the voice of uncertainty with the sound of your own heartbeat! Burn away yourself doubt with the fire beneath you.
Remember what we are fighting for and never forget that momentum is a cruel mistress.
She can turn on a dime with the smallest mistake.
She is ever searching for the weak place in your armour.
That one tiny feeling that you forgot to prepare for.
So as long as the devil is hiding the details, the question remains.
Is that all you’ve got? Are you sure?
When the answer is yes, you’ve done all you can to prepare yourself for battle, then it’s time to go forth and boldly face your enemy.
The enemy within!
Only now you must take that fight into the open, into hostile territory.
You are a lion in a field of lions, all hunting the same elusive prey with a desperate starvation that says victory is the only thing that can keep you alive.
So believe that voice that says you can run a little faster and you can throw a little harder, and that for you the laws of physics are merely a suggestion.
Luck is the last dying wish of those who want to believe that winning can happen by accident.
Sweat on the other hand is for those who know it’s a choice.
So decide now because destiny waits for no man.
And when your time comes and a thousand different voices are trying to tell you that you’re not ready for it, listen instead to that lone voice of descent, that one voice that says: “you are ready”, “you are prepared”. It’s all up to you now! 
So Rise and shine!  
FIND YOUR GREATNESS

Obrigada Grazi :-D

quarta-feira, 15 de maio de 2013

Vá de bicicleta

Coincidentemente hoje, o dia em que consegui me livrar do meu carro, do estacionamento caro e da irritação diária de fazer algo sem sentido (dirigir por 2km - entre 15 e 20 minutos - para chegar no escritório) me deparei com um vídeo, produzido pelo iLoveBubble, com o qual me identifiquei instantaneamente.


Só para explicar melhor, ontem comprei uma bicicleta para que eu possa vir trabalhar. Mais um sonho realizado, mais um gesto em busca de uma vida com sentido, significado e consistência. Sou mais completa agora. Não quero ar condicionado, quero vento na cara... E prefiro o barulho dos motores e buzinas à música que me isola em meu mundinho, protegida pelos vidros escuros.

O estacionamento da bici é gratuito!!! :-D

Aí vai:

Vá de bicicleta - iLoveBubble


Vá de bicicleta - ilovebubble.com from ilovebubble.com on Vimeo.

Não sei dizer quando foi que esta cidade amanheceu cinza - mas, de um tempo para cá, esta tem sido a cor da minha janela.
Todos esses prédios em processo, pensamentos em regresso, trânsito em colapso, vontades roubadas, saudades adiadas... Viver em cidade arranca do tempo grande parte da minha existência.
Eu já teria deixado tudo, não fosse por minha bicicleta. Gosto de pensar que, quando pego a minha bicicleta, estou contestando e gritando e desenhando o sonho de um lugar melhor onde possamos viver.
Gosto de pensar que, quando subo na minha bicicleta, o vento corre ao meu favor. Que a cidade se colore, se preenche de caminhos e sentidos. É como se, de repente, eu tivesse para onde ir.
Quando termina o dia, e encontro os meus amigos, sinto que formamos uma certa revolução silenciosa. Ninguém discute muito, palavras são desnecessárias quando estamos ocupados rodando juntos. Mas, encarando eles nos olhos, dá para sentir uma certeza pulsando. Pedalando, vamos mudar o mundo. 

ilovebubble.com
Belo Horizonte, Brasil 2013
musica: Volcano Choir - Husks and Shells

segunda-feira, 13 de maio de 2013

O foco também cansa!

O que acontece é que do nada me pego pensando no que vou comer depois do treino (hehe), na beleza da natureza, no que a pessoa de trás está pensando de mim e esqueço completamente de prestar atenção no que estou fazendo em cima da bicicleta! E vou te contar, essa distração já me rendeu bons e belos tombos. 

715d612cf3e6fab4270f409aaa4f3822.jpg
Foto: Viviane Favery

Em outras situações, como no treino de ontem que não era técnico mas envolvia um certo perigo por ser na estrada, o meu nível de tensão chega a ser exagerado que somado à concentração absoluta, alcanço um alto nível de exaustão mental. E a mesma coisa acaba acontecendo. Sem perceber meu pensamento vai looonge, até na novela que eu nem assisto, eu penso.

Sempre que tenho treino longo e técnico me vejo brigando comigo mesma, quase que implorando por mais foco e atenção. "Foco Vivi, esquece que tem gente atrás, esquece a borboleta, olha pra frente sem olhar para o chão, relaxe os braços, use o abdômen, confie na bicicleta, você sabe fazer isso, já fez antes. Era em outro lugar, mas você consegue". E por aí vai.

Aí meu parceiro me alerta sobre um buraco na minha frente, eu não percebo nada e vupt, quando vejo já estou dentro ele. Ontem tive a sorte de não ter sofrido um acidente, era um buraquinho pequeno, mas o susto me fez acordar!

Aí me pergunto, o que que eu posso fazer para não exagerar no foco? Eu preciso dele, mas deve ter uma medida certa...

E por causa dessa "mania" de fazer um paralelo com o dia a dia, percebo que vivencio a mesma situação sentada no meu computador enquanto trabalho.  A borboleta é o facebook e o watsapp vibrando e a preocupação é com a pessoa que está sentada atrás de mim. O que será que ela está pensando?

É aquela pressão de fazer um trabalho impecável, o amigo que aponta para o buraco que eu não vejo e a oportunidade que bate na porta e eu a deixo ir embora. Temos que olhar sempre lá na frente na trilha e no dia a dia também, não se distrair com picuinhas.

O ponto é que quando começamos a cansar, colocamos em risco nosso desempenho (no trabalho ou no esporte) e até mesmo na nossa saúde. Insistir em trabalhar cansado pode resultar em um desastre e não podemos deixar chegar nesse ponto.
Acho que a medida certa para o foco é criar o hábito de usar a hora de descanso para descanso, otimizar o tempo de forma inteligente. Hora do almoço é hora de desligar a cabeça, a ida ao banheiro também pode ser aproveitada para mudar o pensamento para algo diferente.

Na bike, a hora da subida longa ou da estrada que não apresenta obstáculos é um bom momento para descanso mental, beber uma água e relaxar o corpo.

Estou me policiando para aproveitar momentos como esses e ficar esperta de que meu cérebro também precisa de um tempinho para se recuperar! E assim amadureço mais uma parte de mim, em busca de qualidade e produtividade nas atividades que pratico. 

:-)

terça-feira, 7 de maio de 2013

Dica #1 - Mochilas de Hidratação

Qual é a melhor? Qual devo usar? Quais funconalidades preciso? Quantos litros de água? Quanto cabe de treco dentro dela? Qual é a mais recomendada pra mim? Será que preciso mesmo?

O que percebi recentemente foi que quem pratica esporte de aventura terá algum ou todos esses questionamentos em algum momento! Não apenas pelas conversas entre a turma, mas também recebi algumas mensagens de pessoas pedindo dicas.

Resolvi então inaugurar minha série de "dicas" em vídeo com esse assunto. Produzido aqui no escritório mesmo, editado por mim e sem fru-frus, ok? É pá-pum! Vamos lá:

 
Para complementar: recomendo que faça uma pesquisa pelos sites das marcas - como eu fiz - para chegar no modelo ideal pra você. O site da Camelbak tem vídeos sobre os produtos que ajudam muito na hora da escolha. Também vale pegar recomendação com os amigos de treino, sempre uma boa fonte de informação!
Visite também o site da Kailash e aproveite para visitar a lojinha da marca nos eventos!

Sugestões, perguntas e/ou críticas, comentem aí! :-)

segunda-feira, 6 de maio de 2013

Constatações Pessoais


Constatações pessoais

Em nenhum momento da minha trajetória, - 27 anos vividos intensamente, me lembro de ter duvidado do meu potencial e de que poderia alcançar meus sonhos. Sim, sou ambiciosa, uma característica minha que se apontada para o bem, só me traz bons frutos. E é o que tem acontecido.
Quem me conhece há muito tempo demorou para aceitar e compreender meu novo estilo de vida, pois nem sempre estive focada no esporte, em competição e treinamento. Era um lado meu que estava adormecido, assim como uma parte do meu brilho e da minha autoestima.
Antes, levava uma vida mais normal, como qualquer jovem moradora de São Paulo. A vida social era fortemente ligada à gastronomia, bares, baladas e bebida.

Só que viver em busca de atender a expectativa dos outros durante muitos anos (sem querer, era isso que eu fazia) me esvaziou e chegou a tal ponto que tive que providenciar mudanças no meu modo de ser. Resgatei um sonho de criança, ser atleta.

Quando eu estava no colégio sonhava em competir hipismo nas Olimpíadas de 2016. Depois descobri o triátlon e queria ser como a Fernanda Keller. Também sonhava em escalar o Everest, fazer a maratona do gelo, a do deserto e a da muralha da China. E quer saber mais? Queria dar a volta ao mundo em um veleiro sozinha.

97c6ede2e1e05db3e0fdbc8e393071d4.jpg
Foto: Viviane Favery

Meu sonho na verdade era ocupar um espaço de mais peso no universo, mas isso se misturou com a grande paixão pelo esporte, o que acabou sendo a melhor motivação  para mudar o rumo das coisas.

Cresci à medida que dei abertura à prática esportiva. Quando percebi, eu já tinha deixado que ela tomasse conta da minha vida. Conforme segui meus instintos e atendi a minha verdadeira vocação, descobri que não precisava de desafios tão brutos, tão longos, solitários, sofridos ou caros, como a investida no Everest, para preencher o vazio. Conforme pedalei, me simplifiquei...
Mas continuo com meus grandes sonhos e construo a realização deles a cada dia, tendo sempre como princípio consistência, sentido e significado nos pensamentos e atitudes.
E a ambição? É o infinito. É querer usufruir ao máximo de cada momento em busca de relações verdadeiras, paisagens deslumbrantes e do silêncio de quem não tem nada a dizer, apenas sorrir.

E é isso que eu recomendo. Tenha uma ambição que te guie no dia a dia, que te dê sentido para levantar cedo, ser gentil, agir coerentemente, se cuidar e cuidar dos outros. Pense longe, pois você é capaz de chegar lá. E se tiver exagerando na dose, fique tranquila, pois o universo se encarregará de te colocar no lugar certo.
Acredite no seu sonho, ele só depende disso para se tornar realidade. Planeje, se organize e se comprometa consigo mesma. Você consegue!

137349becab2ade8a68fc86d84760f3a.jpg

sexta-feira, 3 de maio de 2013

Despedida

Nesta semana nos despedimos de uma pessoa muito querida da corrida de aventura, a Livia Rodrigues. 

Conheci a Livia através do Christian Guariglia, que foi quem me "adotou" nas corridas de aventura e me apresentou ao Mountain Bike em 2011.
 
O Chris é como um irmão pra mim, e essa era a relação que ele tinha com a Livia, que foi sua parceira e grande amiga durante muitos anos.

Antes de conhecê-la pessoalmente, já a conhecia pelas histórias do Chris. Convivemos durante provas e treinos, nunca na mesma equipe, mas sempre compartilhando o perrengue e o amigo-irmão.

Temos outros amigos em comum e o que me chama a atenção é o quanto ela é amada. As pessoas tem muito carinho por ela. Eu também tenho, mesmo convivendo tão menos.

O Chris me mandou ontem um relato/despedida e autorizou que eu publicasse aqui. Obrigada Chris.

A Lívia era como uma irmã mais nova para mim!!! Ela me pedia conselhos, orientações, etc...
Nos entendíamos muito bem nas provas/corridas. Um sabia respeitar as limitações físicas e psicológicas do outro.
Ela foi muito guerreira e nunca parou uma prova comigo. Curtimos demais cada prova, cada momeneto, cada perengue.
Ela me chamava de sósia do Rafael Campos, pela navegação. Quanta honra em ser comparado com um dos melhores do país!!!
Nas provas me dava dura e muita moral:" Olha o mapa e vai na sua, não segue os outros. Confio em vc e na sua navegação.
Tínhamos uma amiga em comum, Maria Regina, que nos apresentou em abril/2006. Minha filha Giovanna nasceu em 1º de agosto de 2006, e 20 dias depois fiz minha 1ª prova de aventura ao lado dela, da Marcinha Blanes e do Willian: AdventureCamp de Atibaia 2006!!! Quase morri!!! Fazer uma corrida de aventura super dura e sem treinar. Tive inúmeras caimbras na bike. Foi na raça. Passamos o corte não sei como, e terminamos a prova completa, quase as 20pm. rsrsrsrsrs
Ainda em 2006 corremos com o mesmo quarteto o AdventureCamp de Caraguatatuba.
Em 2007 e 2008, fui correr com outra equipe, a Apoena/Selva Aventura, com os amigos Fábio Tavares, André Fernandes e Sandra Simões!!!
Perdemos o contanto por um tempo. Ela deu uma parada nas corridas de aventura e foi trabalhar numa equipe na super liga de volleybol.
Em 2009, nos encontramos novamente, e fomos para Jacupiranga, correr a Chauás Sport em dupla mista como Guepardos/Selva Aventura/AKSA. Depois de muita disputa com as equipes Carranca e Lebreiros, conquistamos nosso 1º pódio juntos. Ficamos em 2º lugar.
Em 2010, fechamos uma parceria, e corremos o 1º semestre juntos em dupla mista no circuito Chauás, Haka Race e Expedition, Hyundai Adventure e Troféu SP.
Conquistamos o 4º lugar no RBCA e o 3º lugar na APCA!!!
Treinávamos canoagem na USP, pedalávamos aos sábados, corríamos aos domingos, etc... Foram ótimos momentos juntos, treinos, viagens, etc... que ficarão para sempre na memória. A D. Glória (mãe da Lívia) ficava mais tranquila quando ela viajava comigo. Falava:"Eu sei que vc irá cuidar da minha filha, como se fosse a sua!!!"
No Troféu SP de Ribeirão Pires, fizemos uma prova maravilhosa e super dura, e conquistamos o 3º lugar. Nosso 1º pódio na categoria pró!!!
A Livia não gostava muito de provas que "viravam" a noite, mas consegui convence-lá a ir comigo. Foi a 1ª prova de 150km dela. Completamos o Haka Expedition de São Luis do Paraitinga 2010 em 4º lugar. Essa prova ficará na minha memória para sempre. Fizemos uma prova sem erros, perfeita, gostosa... curtimos muito. Tivemos uma situação muito engraçada. Como sofro um pouco com sono nas provas longas, saímos do AT em Lagoinha, rumo a canoagem. Eram 10km de treking!!! No meio do caminho me deu o maior sono. Para não perder tempo, dei o braço para ela, fechei os olhos e fomos andando. Quando chegava nas bifurcações, ela parava e me perguntava para qual direção deveríamos ir. Eu abria os olhos, olhava o mapa, conferia o azimute na bússula, apontava a direção, fechava os olhos, e seguia de braços dados com ela quase dormindo. Fui 5km tomando dura, pois ela "morria" de medo da escuridão.
De repente, ela falou:"Chris, acorda!!! Chega de dormir, pois tem muitas equipes batendo a cabeça nesse trecho. Como tinham duplas concorrentes, fiz um sinal para ela, sentei e falei que precisava dormir uns 10 min. Esperei todas as equipes irem na direção errada. Levantei, e falei:"Vamos dar o pulo do gato???" Peguei a direção contrária e falei mais 100 metros e estará o PC!!! Não deu outra e lá estava o PC. Ela me perguntou:"Vc tem os números da mega sena acumulada? Como vc consegue navegar dormindo?" Demos muitas rizadas.
Entramos no rio Paraitinga para 30km (6hs) de canoagem. Ela estava muito tensa, pois era de madruga (1am), o rio estava super cheio, devido as chuvas e a trajédia da cidade de S.L.do Paraitinga em janeiro/2010. Eram muitas pedras, árvores pelo meio do rio, pequenas corredeiras, etc... Quando passei a 1ª ponte com 6km (40min), falei se ela queria uma boa notícia. Em vez de remarmos por 6 horas, vamos remar em 4hs. Ela me perguntou se eu iria fazer portagem, cortar o caminho. Falei que não, pois como o rio está muito cheio, "correndo" muito rápido e o tempo iria diminuir muito. Ela ficou muito feliz. Pegamos um PC no meio do rio e ela me falou que agora era ela quem estava com sono. Falei que ela poderia dormir que eu remava sozinho. Terminamos o remo, fomos para o AT, fiz o rapel na cachoeira, comi, coloquei roupa seca e partimos rumo a 22km de bike para a chegada com o dia manhecendo. Foi um momento maravilhoso ao lado dela!!! A felicidade que ela teve ao cruzar aquele pórtico era fantástica e contagiante. Ela me falou:"Não acredito que consegui terminar uma prova dessas e completa!!!" Conseguimos parceira!!!!
Obrigado a Kika e ao Victor pelo grande apoio, e tb a Lilian "Guaranis" Araújo pela ajuda no último AT. O incentivo que vcs deram a Livia, fez toda a diferença para o término da prova.
Histórias é que não faltam. Tivemos muitas. Isso é o que fica!!!
No 2º semestre de 2010, ela foi correr com uma outra equipe e eu fui convidado pelo Fred "Lebreiros" Reis para fazer parte da equipe/família Lebreiros de Ribeirão Preto.
Apesar de estarmos em equipes diferentes, continuamos treinando juntos, ela foi para Ribeirão Preto na festa de final de ano da equipe Lebreiros, nos encontrávamos e treinamos juntos em SP, em São Roque e no Guarujá. Ela ainda correu comigo representando a equipe Lebreiros umas duas vezes em 2011.
Em 2012, depois de 3 meses afastado por problemas renais, convidei a Livinha, o Fernando Lordelo de Santos e o Flávio Freire para fazermos juntos o Haka Expedition de Extrema 170km, em novembro/2012. Fizemos uma prova maravilhosa, com direito a uma tirolesa (quase 1km de distância com mais de 70 metros de altura) alucinante em Monte Verde, em que ela foi comigo, apesar do medo dela com altura.
Remamos por 6hs na represa do Jaguari de madrugada. Paramos na beira da represa, numa baita mansão. Descansamos ao lado de um estábulo, junto com um cavalo. A Livia estava com frio, abriu um bivac e entrou dentro. Assim que amanheceu voltamos a remar. Chegamos no AT, eu e a Lívia comemos um pastel, e fomos de treking para completar mais uma prova de 24hs. Dessa vez a emoção foi minha, por tudo o que passei de julho a setembro com as pedras no rim. Dei um abraço forte nela e no Fernando, e agradeci a companhia e a confiança, por acreditarem que eu terminaria a prova mesmo com pouco treino. Foi minha última prova ao lado dela.
Livia, parceira querida e eterna, descanse em paz. Um dia ainda nos encontraremos para corrermos novamente juntos. No meio da natureza, com visuais incríveis, e por lugares que normalmente ninguém passa.
Obrigado por me apresentar a corrida de aventura.

Beijos e saudades, do seu sempre parceiro, amigo e irmão, Christian Guariglia.