Páginas

Minhas Aventuras

"After climbing a great hill, one only finds there are many more hills to climb"
Nelson Mandela

segunda-feira, 1 de julho de 2013

Aula de Spinning em NYC

Assim como no Brasil, não é todo dia que da pra sair para um pedal e na falta do rolo, o spinning acaba sendo nosso melhor amigo.

No período que passei em NY frequentei a CRUNCH GYM. Uma rede de academias super cool que tem por todo canto em NY. A matrícula dá direito a utilizar qualquer unidade da rede. Yupi!

A Crunch é diferente de tudo que eu já vi: chão preto, paredes coloridas, espaços diferente, luzes, néon... a aula de spinning parece uma balada (ok, isso já foi importado pra cá). A estrutura e boa, bons vestiários, pessoal sorridente e atencioso, limpo... tenho apenas algumas reclamações básicas, tipo que poderiam ter bikes mais novas na sala de spinning e que os bancos dos vestiários poderiam ser maiores. Na verdade NY sofre com um problema crônico de falta de espaço né - até o banquinho do vestiário é micro. Mas o bom disso é que acaba obrigando a gente a ser mais prático e isso é até bom!

Os professores são legais, mas envolvimento é bem superficial (ok, talvez seja assim em qualquer academia). E o que mais me "mata" é o tal do discurso de capa de revista "-Você quer perder peso e ser a pessoa que gostaria de ver no espelho ou vai ficar ai parado sem fazer forca!!!???" Nossa, me deu arrepio a primeira vez que a professora de spinning soltou essa durante a aula. Ela grita a aula inteira.. urgh, dá calafrio.

Ah, só pra explicar, eu estava na aula porque nao poderiam me deixar utilizar a bike sem ser em horário de aula - tipo se você quer pedalar você tem que entrar no progama da capa de revista - OKAY?
Eu tinha meu proprio treino pra fazer e evidentemente o plano da professora "vamos queimar calorias!" - nao casava com ele. Confesso que não me senti à vontade de invadir assim a aula da professora, mas achei que não teria problemas. Peguei uma bike mais pro fundo da sala e iniciei minha série de cadência baixa e alta resistência. Iniciei uma pocinha também - o que a gente sua em treino indoor é surreal!!!

Antes de começar a aula
Eu lá bonitinha na minha e a professora gritando no microfone, mandando todo mundo girar girar girar... posição 1, posição 2, posição 3, "and a quarter turn!" ela falava, mandando aumentar a resistência.
E cada vez que ela falava "o que voce quer ver qdo olhar no espelho? hein" ou "Estou vendo gente que não está girandooooo!" eu sentia que era uma indireta pra mim.
Em determinado momento - acho q ela ja tinha usado todas as estratégias que ela conhece para tentar me envolver na aula - em vão - ela veio ate mim. Delicadamente perguntou se eu estava machucada.  Até achei fofo... em vez dela falar "Meu, qual é o seu problema menina? Não vai participar da aula?", ela falou isso.

Expliquei que tinha um treino específico pra fazer. Ela fez cara feia e deixou pra conversar comigo no fim da aula. Disse que por ordens de seu superior, deveria expulsar da aula quem não participasse. Mas olha que querida, ela disse que "como quer fazer a gente feliz, deixou eu ficar". Pedi desculpas e ela disse que tudo bem (irônica), desde que na próxima vez eu ficasse num local onde não atrapalhasse ninguém.
Missão cumprida :-)
Ok. Voltei na semana seguinte e fiquei na última bike da última fila. Consegui fazer meu treino específico antes da aula começar (aparentemente mudou a regra de que não podia usar as bikes de spinning sem ser fora da aula de uma semana pra outra) então quando ela começou a aula,  participei fazendo tudo que ela mandava para não criar mais uma situação chata (eu precisava rodar mais tempo). Mas todo esforço foi em vão! A tchuca continuou gritando e gritando no microfone, falando comigo. Tava na cara que era pra mim. Eu abaixava a cabeça e ela gritava "Ficar com a cabeça abaixada vai te dar dores nas costas e faz mal para blablablabla.....".

Me pergunto: por que incomodei tanto ela? Que que eu fiz? Obviamente eu não sou o público alvo da aula dela. Veja pelo meu look: a única pessoa de sapatilha suja, bermuda de bike e jersey de ciclismo. Estava um pouco "fantasiada". Mas precisa disso tudo professora?

Engraçado isso. Eu tinha muito mais a agregar do que a "causar". Mas a professora que "quer fazer as pessoas felizes" aparentemente não quer ser feliz ela mesma.

Nenhum comentário:

Postar um comentário