Páginas

Minhas Aventuras

"After climbing a great hill, one only finds there are many more hills to climb"
Nelson Mandela

segunda-feira, 26 de agosto de 2013

Relato do Xuxa - Caminho de Santiago de Compostela

Como falei no post anterior, o Xuxa fez o Caminho de Santiago de Compostela de bike 2 vezes, uma em 2011 com o Rodrigo Trator e outra em 2012 comigo. Só recentemente, mais de um ano após a conclusão da segunda peregrinação, que escreveu um relato dessa experência. É muito rico, mostra a particularidade de cada experiência e a importância de poder viver um/o processo. O mais legal é que a gente se entretém na leitura, eu, sensível que sou, sinto as emoções que ele descreve. Recomendo a leitura! :-)

Duas peregrinações no Caminho Francês de Santiago de Compostela 
- Ricardo Tamaoki.


2011 - final de outono inicio de inverno. Ultima semana de Outubro.
  1. St Jean Pied de Port - Pamplona (70km)
  2. Pamplona - Logroño  (95km)
  3. Logroño - Burgos (123km)
  4. Burgos - Leon (164km)
  5. Leon - Villa Franca del Bierzo (125km)
  6. Villa Franca del Bierzo - Santiago de Compostela 220km
2012 - final de inverno inicio do verão. Ultima semana de Junho.
  1. St Jean Pied de Port - Estella (116km)
  2. Estella - St Domingo de la Calzada (98km)
  3. St Domingo de la Calzada - Carrion de Los Condes (160km)
  4. Carrion de Los Condes - Leon (98km)
  5. Leon - Cacabelos (125km)
  6. Cacabelos - Santiago (220km)
Por que o Caminho de Santiago?
Em 2011 eu estava com vários problemas de trabalho e pessoais e não era um ano que eu estava muito bem. Acho que o Rodrigo também. Nós somos muito amigos e no começo do ano ele disse que no segundo semestre ele iria fazer uma viagem de bike, perguntando se eu iria com ele. Disse a ele na época que não poderia, pois estava muito enrolado de trabalho. Além de muito amigos, somos também parceiros de competições e eu havia falado com ele sobre fazermos o Brasil Ride naquele ano. Ele topou e estávamos treinando para a prova que aconteceria no começo de outubro. 

O plano dele era, na sequência da prova, sair de férias para fazer essa viagem na Europa. Não sabia ainda o que fazer mas tinha que ter esporte no meio. 

Em agosto a minha mãe foi diagnosticada com um câncer e todos meus planos mudaram naquele momento. Avisei o Rodrigo que não poderia fazer mais o Brasil Ride, pois além de não conseguir mais treinar, a semana da prova seria a ultima semana de tratamento da minha mãe e eu não poderia me ausentar! Nesses meses eu fiquei sem rumo! Quase todos os dias eu ia no hospital ou resolvia problemas burocráticos do tratamento, fora isso tinha uma empresa para tocar!

Foto da 2a peregrinação

O Rodrigo e todos meus amigos mais próximos estavam acompanhando e vendo de perto o que estava acontecendo, eu não estava muito bem mesmo. O Rodrigo então disse pra eu viajar com ele já que eu não tinha feito o Brasil Ride e ele não queria ir sozinho. Detalhe: esse convite aconteceu duas semanas antes dele embarcar. 

Perguntei o que ele pretendia fazer, e ele me disse que faria o Caminho de Santiago de Compostela, 850km. Perguntei qual era o planejamento e ele disse "Sei lá! A gente chega lá e pedala! Mas tem q ser em 5 dias que eu só tenho uma semana de férias!".

Eu fiquei pensando... comecei a desenhar a viagem e coletar informações. O Rodrigo nunca tinha viajado para fora do país e eu estava muito afim de ir com ele para dar uma relaxada. Eu disse, para o Rodrigo que precisavamos de mais informações para não ter problemas. Tínhamos que saber o que levar, onde dormir e tudo mais... O primeiro plano dele era domir em albergues e acabar o pedal em 5 dias. 

No brasil tem uma central do peregrino e fomos até lá para coletar informações e tirar os passaportes de peregrino. Quando chegamos lá, foi engraçado! O rapaz perguntou que caminho iriamos fazer, pois existem várias rotas. O Rodrigo já havia decidido que era o Francês, porque queria também ir até a França e não conhecer "apenas" a Espanha. 

O Caminho Francês é o mais comprido e difícil e quando o moço da central nos perguntou o que sabíamos e em quanto tempo faríamos (o Rodrigo de sopetão respondeu que ainda não sabia nada e que iríamos fazer em 5 dias) quase fomos expulsos de lá!! 

O rapaz disse: "Vocês não sabem o que estão falando! O inverno esta começando! Tem lugares que estão fechados!! Muito frio e é impossivel fazer em 5 dias!!! Vão precisar de uns 15. Não dá para se pedalar o caminho inteiro..." e disse mais um monte de coisas!! 

A idéia do Rodrigo era chegar na Europa na terça, começar a pedalar na quarta para assistir a Missa do Peregrino no domingo em Santiago. Aí poderia ficar dois dias lá e voltar para o brasil na sexta. Ele estava certo que daria!
Foto da 2a peregrinação
A IDA
Comecei e pensar e estudar como chegar ao lugar de partida e pesquisar sobre o clima. Resolvi chegar em Pamplona na sexta, pesquisar tudo por lá e esperar o Rodrigo para ir a Saint Jean Pied de Port para iniciar o pedal. 

Quando o Rodrigo chegou na Europa ele teve alguns problemas e não conseguiu chegar em Pamplona na terça. Tinha um feriado por lá! Fui para St. Jean de taxi - fica a umas 2h de Pamplona - e esperei o Rodrigo por lá! 

 O Rodrigo chegou na quarta pela manhã e começamos a pedalar! Estava frio, e a nossa idéia era fazer o primeiro dia em umas 4 a 5 horas de pedal. 

De cara você sobe os Pirineus e foi lá que a nossa falta de informação e ter substimado o Caminho começou a cobrar sua conta. No alto da montanha o vento estava a quase 70km por hora! Não conseguiamos nem empurrar a bike! As vezes nos escondiamos atrás de pedras para não sair rolando. Uma chuva intensa e muito muito frio! 

Foto da 2a peregrinação
O Rodrigo nunca tinha passado um frio daquele, ele não acreditava e nem mexer a mão ele conseguia. Com 25km, quebrou a bike dele. Estávamos no alto da montanha ainda e foi muito duro sair de lá! Não tinhamos comida e água e a próxima cidade estava a 20km - onde tínhamos que chegar antes das 16:00 porque tudo iria fechar e aí sim estaríamos ferrados! 

No primeiro dia chegamos em Pamplona quase 20:00 embaixo de chuva e muito frio, em lá tivemos que perder o dia seguinte porque o Rodrigo teve que comprar outra bike (a dele ficou por lá mesmo).

O segundo, terceiro e quarto dia foram muito muito difíceis! Saimos para pedalar as 6am no frio, 1˚, chuva e muito vento e tínhamos que parar no máximo 17:00 porque se escurecesse poderiamos ter problemas sérios. 

Em dois dias tivemos princípio de hipotermia e controlar a temperatura do corpo era o mais complicado. Fazer o caminho em 5 dias seria impossivel! Nos 3 primeiros dias não tínhamos rodado nem 300km e faltavam 500. Começamos a aumentar os trechos devido ao tempo que nos restava! 

Foto da 2a peregrinação

Quando chegamos no ultimo dia de pedal em Villa Franca, faltavam 240km para atravessar toda a Galicia, parte mais difícil do Caminho. Eu e o Rodrigo montamos nossa última estratégia: se dividissemos em 2 dias o Rodrigo não conheceria Barcelona, se perdessemos o time do pedal isso poderia nos trazer grandes problemas em estar sem roupa apropriada, vulneravel ao frio. E também não tinha como prever o que viria pela frente.

Combinamos então o seguinte: "Rodrigo, amanhã vamos começar o pedal as 5am, mas não vamos pedalar juntos! Vou sair na sua frente uns 20' e vou acelerar e você vem atrás isso vai fazer eu andar mais rápido! Ok? Dependendo onde estivermos e que horas do dia for, decidimos se vamos até o fim ou se paramos por segurança! Fechado?" Assim saimos para o pedal! E pedalamos forte, por volta de 11am já tinhamos rodado 100km, faltava apenas 140km.

Foto da 2a peregrinação
Não tínhamos farol e até o momento a chuva tinha dado uma trégua! O problema era só o frio! Muito frio!! Por volta de 17:00 já estava escurecendo, estávamos sem farol e começou a chover. Faltavam 40km e ai não podiamos mais parar fomos até o final. 

Chegamos em Santiago por volta das 23:00 e deu tudo certo. Eu diria que essa primeira viagem a Compostela foi muito dura! Não estavamos preparados, subestimamos o caminho e foi duro. Acho que as maiores senções de frio que já passei foram nessa viagem, apesar de já ter feito outras aventura em lugres e situações até mais extremas. Mas o lugar é fascinante

Foto da 2a peregrinação

Vem a grande pergunta, porque fazer novamente em memos de 8 meses?

No ano seguinte a situação era outra, eu estava bem comigo mesmo! Treinando bastante e competindo direto com a Vivi. A meta do ano era o Brasil Ride que eu havia perdido com o Rodrigo.

Convidei então a Vivi para fazer o Caminho, seria uma viagem legal e um super pedal! Um bom lugar para fazer um training camp para o Brasil Ride e ver o que acontece.

No ano anterior havia feito com um cara (o Rodrigo) com quem já havia passado várias roubadas e sabia que era forte de pedal (eu sabia como conviver com ele). Nesse ano tudo estava diferente! Eu nunca tinha feito nada tão extremo com ela, e ela também não tinha tanto volume de pedal assim! Eu precisava ver como seria a reação dela.


A Viagem foi incrivel, a Vivi era uma super parceira! Nenhum dia de chuva! Muito frio pela manhã mas o sol era a segurança a partir das 10am. Tinhamos luz até 10pm e tudo foi mais tranquilo em relação a clima!

O pedal é duro! Pedal de gente grande. São quase 20.000m acumulados nos 800km. Quase todo em trilhas ou estradas estreitas. Quase nada de asfalto, se tiver uns 30km em todo caminho é muito!

Paisagens fantásticas, um pedal técnico e duro. Isso tudo não quer dizer que foi fácil! Não!! É duro! Duro mesmo! Fazer esse pedal em 6 dias exige muito! A Vivi mandou muito bem e pedalou muito! Muito pedal longo acumulado, sendo o ultimo dia mais de 200km!

Quando acabamos eu vi que o Brasil Ride seria possivel sim e daria para andarmos bem! E isso foi o que aconteceu.

Muito da experiência em corridas de aventura e corridas longas me ajudam a montar toda a estratégia, saber o que comer e o quanto para não ter problemas.

No ultimo dia de pedal com a Vivi nós faziamos paradas rápidas com comidas leves várias vezes e isso ajudou bastante para termos energia e chegarmos bem no final. Com ela acabei o pedal 22:00 no ultimo dia.

Chegada em Santiago de Compostela às 22hs
Pra mim o Caminho é um lugar incrível! Não dá para explicar, você precisa estar lá e sentir! É uma experiência fora do normal. Um lugar único e tem a sua magia sim.

Jamais subestime o caminho!!!

Ano que vem pretendo fazer o caminho mais uma vez!
 
LINK PARA O ÁLBUM DE FOTOS DO XUXA
__

Obrigada Xuxa por compartilhar seu relato aqui no blog! Aguardamos mais relatos seus hein!!

Um comentário: