Páginas

Minhas Aventuras

"After climbing a great hill, one only finds there are many more hills to climb"
Nelson Mandela

quarta-feira, 20 de novembro de 2013

Por que eu pedalo? - Parte II

(continuação do post anterior, aqui)

6º - Insanidade

Haka MTB 2011
Em meados de Abril, o Chris comentou comigo sobre o HAKA MTB, prova de 4 dias na região de São Bento do Sapucaí. Disse que em 2010 tinha feito apoio e ficado com vontade de competir e me chamou então para ser dupla dele nesse ano. Sem nem pensar (e sem nem ter idéia do que era um singletrack - OKAY?), eu topei. To dentro Chris!

O Chris acabou tendo um imprevisto e quem entrou no lugar foi a Lisandra Mesquisa, de Ribeirão Preto. A Lis corre pra C*****O e pedalava muito melhor do que eu, mas estava disposta a acompanhar meu ritmo iniciante. E lá fomos nós. Havia mais uma dupla feminina, a Elenita e a Bia Granziera (foi muito legal correr com elas - no ultimo dia pedalamos juntas o tempo todo na maior cantoria!).

E aí... o que foi que aconteceu... adivinhem... começamos a entrar nas trilhas e em trechos mais técnicos, com pedras, raízes, solo escorregadio, e por aí vai. Até então eu achava que as pessoas carregavam a bike em lugares assim, mas aos poucos fui percebendo que não, todo mundo pedalava ali. Mas como? Sério? "Mas alguma mulher passou pedalando por aqui?" (eu perguntava para os staffs)... E eles me falavam que sim, inclusive que a Adriana Nascimento passava rápido!

Aquilo ficou na minha cabeça e eu fiquei intrigada... Como que pedalava ali? Por onde a bike passa? - Se dá pra fazer, eu quero aprender!

 

Conheci a Pequena Grande Adriana Nascimento no fim da prova. E observei as meninas que pedalam, como elas entendiam do assunto, como elas curtem! Aquilo me encantou...

** Depois do Haka MTB comprei uma speed para poder treinar direitinho em São Paulo e quando meu treinador me viu pedalando pela primeira vez, fez um comentário que achei curioso. Ele disse que meu pedal era melhor que minha corrida.. Eu num entendi.. corria desde novinha, estava evoluindo, super envolvida. E ele me vê pedalando por 3 minutos e já de cara tira essa conclusão... Me fez querer saber mais coisas sobre o mundo da BIKE.

7º - E começam os treinamentos (e mais tombos)

O Chris me apresentou à Flavinha Dallacqua e depois à Vanessa Cabral. Num dia ligou para elas e perguntou se eu podia ir pedalar com a turma do Ravelli lá em Itu (ele não iria). E lá fui eu sozinha, sem nem saber colocar a roda na bike direito, super acolhida pelas duas.

Nesse dia conheci parte da trupe: Paola, Thomas, Lica, Lurdinha... Eu ia de lanterninha, fechando o caminho. E caia até parada (a Paola lembra bem né Pá!).

Assim que o Ravelli começou as clínicas de MTB eu me inscrevi logo na primeira. Foi o começo da salvação!!! Passei a ter alguma noção sobre bicicletas (e como me manter em cima dela) e me inscrevi para participar do GP Ravelli em dupla com o Chris. Lembro apenas de fazer um esforço SURREAL mas de terminar a 2ª etapa muito feliz.


Na 3ª etapa do Ravelli ainda conseguimos pegar pódio, 3º lugar!! Foi o máximo!
Nesse meio-tempo, experimentei uma prova de triathlon

(to be continued) - aguardem o post dos próximos capítulos!!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário