Páginas

Minhas Aventuras

"After climbing a great hill, one only finds there are many more hills to climb"
Nelson Mandela

quarta-feira, 27 de novembro de 2013

Por que eu pedalo? - Parte III

(continuação do post anterior, aqui)


8º - Insanidade parte II

Era hora de trocar o carro. Mas eu mudei de idéia e troquei de bike.
Casei com uma Epic (Specialized) e foquei 100% nos treinos pra bike (até então eu ainda treinava corrida...).


9º - Encontros

Fui cada vez conhecendo mais gente. Num reconhecimeto do Ravelli em Itu, conheci o Tadeu que fez algumas provas do Ravelli comigo em 2012. Nesse dia também conheci a Su (Susan Zorzetto) que também treina com a Adriana Nascimento. Esse foi o dia épico que a gente se perdeu horrores junto com a Lurdinha e o Marcio, foi tenso mas engraçado. Graças ao Marcio conseguimos voltar aos carros depois de umas 5 horas de pedal.

E logo depois, num bate-papo com o Xuxa (Ricardo Tamaoki) - também aluno da Dri - fechamos uma parceria para correr o Big Biker 2012 em dupla mista.

E aí, a partir disso não tinha muito como a bruxa (apelido carinhoso dado à nossa grande mestra Adriana Nascimento) dizer não pra mim, teve que me aceitar como aluna! rsrs

Março de 2012 foi meu primeiro mês 100% focada no MTB e como Legionária da Adri Nascimento.
Também marcou como o início de uma temporada de muitos e muitos tombos...

10º - Foco

Eu já sabia que o Xuxa tinha interesse em fazer a Brasil Ride e eu queria muito poder acompanhá-lo no desafio. Consegui focar nos treinos e nos ensinamentos da Adriana para evoluir. Ignorava os tombos para poder seguir sem me sentir mal e tive que aprender o máximo possível de MTB em 6 meses.

Fizemos juntos todas as etapas do Big Biker (fomos campeões!), fizemos o HAKA MTB (campeões também!) e fomos para a Espanha fazer o Caminho de Santiago de Compostela apenas com uma mochila nas costas. Foi um training camp de agilidade e foco - bem útil para tudo na vida (dá pra passar 6 dias sem condicionador de cabelo...).

Não existe uma apostila ou uma cápsula de técnica que faça você ficar pronta assim do dia pra noite, para uma ultramaratona como a Brasil Ride. Mas minha vontade era tanta que eu dei um jeito.. E com a parceria do Xuxa e tudo isso que fizemos, a missão foi cumprida com sucesso!


Enfim...
E assim foi... para 2013, planejei me conhecer um pouco mais, sair da "zona de conforto" (não que eu estivesse em uma..) e competir sozinha.

O foco foi o Big Biker, quatro etapas dariam um capitulo à parte na minha vida.
Cada prova tem uma história, um enredo, um aprendizado...
Ganhei o campeonato, o que pra mim significou que ser campeã é muito mais do que estar forte de perna (eu não pedalei bem nas três ultimas etapas...).
É saber controlar a ansiedade, lidar com imprevistos, é cair e conseguir levantar, é estar bem, e é o contexto no qual nos encontramos - pois eu só venci porque imprevistos, quedas e dias ruins não acontecem apenas comigo.

Chegada da 1ª etapa do Big Biker 2013, com a mão quebrada
2013 também foi um ano de muito trabalho e mudanças na vida pessoal. E meu relacionamento com a bike, meu desempenho nela tudo tem a ver com cada fase que passei. Meio doido, mas faz todo sentido.

Agora me preparo para 2014. Estou traçando os objetivos e iniciando o treinamento de base. Cuido para conciliar bem o trabalho, a família e amigos, o treino e o descanso - talvez esse seja o maior desafio.

Minha família já se acostumou com a bike na minha vida, e eu também. Não é uma paixão, não vai acabar quando minha força física se for. É um amor e eu espero envelhecer ao lado da minha magrela.



Por que estou contando tudo isso?

Principalmente porque gostaria de motivar outras pessoas a irem atrás de seus sonhos, de serem ambiciosas e acreditarem que dá.
Eu era uma pessoa triste e a bicicleta mudou minha vida. Me ajudou a encontrar consistência, a viver de acordo com meus valores...

Talvez porque eu tenha encontrado uma forma boa de extravazar minha agressividade reprimida, não sei. Mas através da bike, fiz amizades, pratico camaradagem, jogo conversa fora, dou risada, me divirto, me uso...
A bicicleta é meu local de descanso. Talvez porque a liberdade seja isso.
E como vejo que esse efeito é comum, não acontece apenas comigo, quis contar tudo aqui, caso ocorra de mais alguém se identificar, se encorajar, e seguir em frente com seu sonho.
Não precisa ser de bike...  mesmo que de bike seja mais legal :-)

Nenhum comentário:

Postar um comentário