Páginas

Minhas Aventuras

"After climbing a great hill, one only finds there are many more hills to climb"
Nelson Mandela

quarta-feira, 30 de julho de 2014

No esporte, não há razão para chateação

"No esporte, não há razão para chateação."

Com exceção de quem vive do esporte, que o tem como fonte de renda / trabalho, acho que todos os esportistas podem se apropriar desta premissa.

O motivo é simples: o esporte é seu hobby, é algo que você escolheu fazer, que, como todo hobby, deve lhe dar prazer. 

Já vi - e vejo - muitas pessoas que levam uma competição a sério demais, ou encaram um treino como algo supremo, que deve ser superado a todo custo para provar-se forte (a si mesmo, creio eu).

Já vi meninas chorando depois de perder para outra em uma corrida, já me vi irritada por não zerar um trecho técnico de trilha, e já vi meninos "p´s" porque não foram escalados para pedalar na turma dos velozes e furiosos no treino x.

Mas me pergunto, FAZ SENTIDO?

Se está verdadeiramente chateado, é preciso rever o que você espera do esporte - virar uma Super Women / Men?

Como já esclareci o que espero do esporte pra mim, não faz sentido nenhum me chatear na bike.

Pode no meio de um pedal frio e chuvoso eu tremer e não sentir os dedos dos pés, mas hei de agradecer ao universo por poder estar ali, onde eu queria estar!

Pode ser 5:30 e eu estar pronta para um treino específico e quando já estiver longe de casa, não dar certo de seguir, hei de agradecer.

Pode minha bicicleta virar mil pedacinhos de carbono e eu chorar pela perda como uma criança inconsolável (como aconteceu ano passado), hei de agradecer.

Se eu chegar em último em uma corrida (como aconteceu recentemente), hei de agradecer.

E se eu me chatear com a bike, hei de repensar o que estou fazendo ali, pois em algum lugar eu errei a entrada da trilha certa.
Um amigo tirou essa foto de mim depois que eu acordei de um tombo feio

segunda-feira, 21 de julho de 2014

O retorno da Specialized Era, a full suspension feminina

Agora é oficial, a ERA voltou!!!

Depois de alguns anos sem uma full suspension feminina voltada para alta performance / XC, a Specialized relançou a Era, pela primeira vez com aro 29.

Essa notícia chegou para alegrar muitas mulheres (inclusive a que vos fala).

Nesse período sem a Era, muitas de nós migramos para a FATE (hardtail) ou para a EPIC (versão masculina da Era).

Quem migrou para a Fate, se apaixonou pela máquina: agilidade, leveza, controle, rapidez... que é ideal para provas curtas.

Para desafios mais longos (endurance / ultra maratonas), sente-se falta de uma suspensão traseira que absorva o impacto despejado na coluna, gerando maior desgaste geral.

Então queremos uma full suspension com os mesmos benefícios da hardtail, e sabemos que a Era é a bike que pode nos entregar isso!

Quem migrou para a Epic, se apaixonou pelo sistema Brain e pelo conforto e segurança do conjunto de suspensões, porém sente falta de um quadro feito para o corpo da mulher.

Ou seja, a Era 2015 tem tudo para ser um sucesso!

Segue imagem retirada do site Bike Rumor (XX1, Rockshox invertido e freios Magura).


sexta-feira, 18 de julho de 2014

MTB em New York

Procurei muito na internet sobre parques, trilhas e comunidades de Mountain Bike em Nova York. Num estado tão bonito, tão cheio de natureza, tem que ter MTB!

Pela internet, consegui pouca coisa, mas foi o suficiente para resolver meu problema: me inscrevi para participar de uma prova incrível de XC - uma das estapas do New York State MTB Series, no percurso mais técnico que já pedalei (The West Hurley Burly Backyard World Championships).

Nesse evento encontrei pessoas incríveis e uma das comunidades mais fortes de MTB do leste dos EUA!!! [se tiver a oportunidade de voltar pra NY, a bike vai junto :) ]

O motivo deste post é, então, informar que no Estado de Nova York, e muito próximo a Manhattan, existem lindos parques com trilhas de bike e diversas provas de mountain bike que nós podemos participar.

Além do NYS MTB Series, quem vai à Manhattan pode desfrutar da trilha de MTB do Cunningham Park.

O Cunningham fica localizado no Queens (olhando no mapa, fica perto do bairro Jamaica) e, de metrô, pode facilmente levar 1h30/2h para chegar lá. Mas vale muito a pena!!! Resolvemos voltar de bike e foi mais rápido e mais legal.

O parque é gigante, possui campos de baseball, banheiros, bebedouros e tem até uma avenida que corta ele. E um dos lados é dedicado apenas para a trilha de MTB, com caminhos mais fáceis e mais difíceis - cheios de obstáculos construídos. Passamos duas horas pedalando por lá sem enjoar do percurso.

A trilha é 100% single track, com pump tracks construidos pelo meio e obstáculos desafiadores.

Encontrei este vídeo no Youtube que mostra a trilha:



Além da prova que eu fiz e do Cunningham Park, existem vários outros parques de bike e eventos interessantes.

No final de semana seguinte a Hurley Burly, em uma cidade ha 30 minutos da cidade de Nova Iorque, aconteceu uma prova de 6hs, 100% singletrack fluido, daqueles que a velocidade que determina a dificuldade do percurso.

Nesses dias também fomos convidados para fazer mais alguns pedais: um com um clube de MTB de Woodstock que se encontra duas vezes por semana para fazer as trilhas da região, e outro com um amigo de Manhattan que pedala todo fim de semana pro lado de lá do Hudson River, sentido Bear Mountain (onde a Gran Fondo de NY passa). Já treinei por lá, lindo e delicioso!

Também fomos informados que as trilhas de bike do Windham estão sendo reconstruídas para a World Cup no segundo semestre, e cogitamos tirar alguns dias para ir pra lá com nossos novos amigos.

Em Agosto, uma das etapas do NYS MTB Series será lá, dando oportunidade de atletas amadores pedalarem num circuito profissional!!!

Resumindo... se a gente aceitasse todos os convites que recebemos dos novos amigos que fizemos na prova, não teríamos ido pra Manhattan, para ficar pedalando pelos lindos parques do estado de Nova Iorque e conhecendo mais lugares mágicos, como foi com Woodstock e Kingston (cidade onde pernoitamos, foi a primeira capitado do estado de NY, cheia de história)!

__
Quando estiver pedalando nos EUA, lembre-se que lá existem regras e que lá penalidades funcionam:
- na estrada, nunca andar em dupla e sim em fila indiana (evita assim levar multa da polícia e bronca dos próprios ciclistas)
- nas trilhas, dê passagem para quem vem de trás, mais rápido.
- educação, cordialidade, não jogar lixo no chão, respeitar o espaço dos outros, não andar na calçada, etc.

Quem quiser mais dicas sobre como passear em Nova Iorque fora do roteiro turístico, entre em contato comigo!

quarta-feira, 2 de julho de 2014

Brasil Ride Festival 2014

No final de semana retrasado (21/06) aconteceu em Botucatu o Brasil Ride Festival - um evento que reproduz em menor escala o clima da maior ultra-maratona da América Latina, a Brasil Ride (7 dias de MTB na Chapada Diamantina todo Outubro, desde 2010).

O evento aproveitou o feriado de Corpus Christi para reunir a família com uma programação completa e muito bacana: prova de ciclismo UWTC, palestras com Adriana Nascimento (Como se preparar para a Brasil Ride?) e Rafael Campos (Preparação para Corrida de Montanha), Warm Up Brasil Ride (prova de MTB que simula uma etapa de Brasil Ride), Corrida de Montanha e passeio ciclístico.

Na quinta-feira de feriado, acompanhei de perto a prova de ciclismo, que surpreendeu pela altimetria e dureza do percurso (sem trechos planos).

Largada prova de ciclismo
Já deu para sentir um pouco do clima "Brasil Ride": pessoas que vem de todos os cantos do Brasil por um mesmo propósito - viver uma experiência. O slogan já diz: Your Guts, Your Glory.

No centro de Botucatu, na frente da Igreja Matriz, a Arena Brasil Ride foi montada com uma linda estrutura.



Apoio da Pedal Urbano, da Shimano, Bazar da Quasar Lontra, loja da Brasa Bike e tinha até comida Japonesa!! Logo o local passou a ser um ponto de encontro de amigos que só se cruzam nas trilhas entre Mucugê e Rio de Contas.

A maioria das pessoas estava ansiosamente se preparando para o evento de sábado, a Warm Up Brasil Ride - uma prova que simula uma etapa da ultra-maratona. Mas não muito menos gente aguardava pela corrida de montanha do domingo (haja saúde para quem encarou as 3 provas!).

Brincamos se seria Mucugê X Rio de Contas (lê-se Mucugê CONTRA RC) - mais difícil (porque tem a famosa trilha do VIETNÃ) ou o contrário (é, estava mais para Rio de Contas CONTRA Mucugê rs).

E não posso deixar de mencionar a locução do evento, que cada ano se supera e marca com uma "figura" diferente. Algumas piadas surgiram por causa desse assunto...:
2012: OKAY, COW RIBS
2013: IÉIÉEEEEEEEE!!!!
2014 BRA Festival: PAAAAAAAAAAAARABÉEEEEEEENSSSSS

Mas voltando ao assunto Warm Up, a categoria PRÓ largou no sábado às 8:30 na Arena Brasil Ride contou com um percurso de 107km e 3.000mts de ascensão acumulada.


A SPORT saiu um pouco mais tarde para 76km de um percurso não tão mais leve.

A minha impressão da prova: uma perfeita etapa de Brasil Ride. DURA!!! Impressionante como em Botucatu pode-se encontrar um terreno tão parecido ao que existe no interior da Bahia! Areião, descidas longas e técnicas, pedras, trilhas em pasto, logas serras íngremes, estradões em falso plano, momentos de solidão e momentos de parceria... circunstâncias que exigem muito mais do que força física (isso porque exigem até o limite de força física).

Fui para andar forte e fechei na 3a colocação da elite feminina!

Mario Roma e equipe estão de parabéns por mais um evento espetacular!

Seguem algumas fotos do que a Brasil Ride representa pra mim.

Até a Chapada Diamantina, se Deus quiser!

Brasil Ride 2012 chegada etapa Mucugê - Rio de Contas

Brasil Ride 2012 etapa XC Rio de Contas
Brasil Ride 2012
Indescritível recepção dos moradores dos vilarejos por onde passamos
Entrou areia na minha luva em uma queda e minha palma da mão ficou em carne viva
Volta à Mucugê do Guto e do Marcelo em 2013 - emoção!
Festival Brasil Ride 2014
O querido fotógrafo W. Togumi tirou essa foto minha brincando na chegada da prova de ciclismo
O cinegrafista Marcelo Machado captou o brilho nos olhos :)