Páginas

Minhas Aventuras

"After climbing a great hill, one only finds there are many more hills to climb"
Nelson Mandela

segunda-feira, 23 de março de 2015

As vezes é preciso dar um passo atrás

Foto: Leo Cavalini
Eu não tenho medo de compartilhar meus fracassos. 
Não sou de esconder minhas fraquezas. 
A humanidade liberta... 

Já estive presa no sufoco da imagem, sei o quanto é ruim (viver com a corda no pescoço, sem chão, sem si).

Parte da minha jornada de auto conhecimento (mérito do meu no esporte) foi reconhecer as facetas que eu mesma criava para me esconder de mim mesma. 

Hoje sei reconhecê-las de longe, e ligo o alerta vermelho para não cair nas piores armadilhas do ego.

Mas voltando à superficie... o que aconteceu foi que uma virose me pegou na semana passada, na véspera do Big Biker Itanhandu. 

Eu estava tão animada para essa prova, adoro a região e o percurso. Adoro estar com os meus amigos depois da exaustão, sentados sem sentir as pernas, imundos, compartilhando as pequenas vitórias e derrotas do dia, as bizarrices e os momentos em que tudo doeu. O plano que deu certo e o outro que não deu. 

Estava (ainda estou, agora está reprimida pelo meu repouso forçado) com muita energia, afim de subir aquela serra do Palmital sem deixar sobrar uma gota de esforço.

Achei que pudesse melhorar a tempo, e planejava melhorar meu tempo. 

Me senti melhor no sábado, mas no domingo... não deu.

No começo da madrugada percebi que as coisas não estavam saindo conforme planejadas, não estava conseguindo dormir. Metade por causa da chuva forte que me atordoou, outra metade por estar suando frio.

Quando o despertador tocou - a tempo de tomar café da manhã tranquila, me arrumar e chegar no local da largada com tempo suficiente para fazer um bom aquecimento - levantei da cama e comecei a arrumar as coisas para voltar pra casa. 

Na hora foi duro, muito duro tomar essa decisão. 

"No physical pain matches the emotional ones" / "Nenhuma dor física supera uma dor emocional". Essa máxima prevalece. 

A dor física me parece mais tangível, visível, mensurável, explicável... já essa outra categoria, emocional, não tem contorno, cor, forma...

É difícil desviar o pensamento do "se eu tivesse", "se eu pudesse", "que droga", "que pena"... mas é possível.

Então, no carro, enquanto todos largavam na prova, e eu largando a prova, aos poucos... pude começar a sentir lá no fundo um pingo de orgulho.

Foi a primeira vez que eu tive coragem de respeitar uma limitação física, e desistir de um desafio. Normalmente eu até gosto quando a aventura ganha uma pitada de superação extra.

Tenho no meu currículo a incrível faceta (estou sendo irônica) de, por duas vezes, competir com ossos quebrados no meu corpo - e em ambas as situações, tive que passar por reparos cirúrgicos. Tenho nessa lista uma Brasil Ride feita praticamente inteira com um ombro luxado / ligamento rompido (no começo da 2a etapa). Tenho outras provas mais curtas nas quais larguei com febre. No Caminho de Santiago de Compostela tive problemas com o fit (o qual eu não havia feito - e nem tinha conhecimento para fazer eu mesma) e meu braço formigava a ponto de não conseguir pentear meu cabelo. Pedalei 6 dias assim. 900km.

Então... me entende? O tamanho dessa conquista? Eu me achava corajosa quando me jogava em uma aventura desconhecida, superava a dor e os grandes desafios... mas estou me achando infinitamente mais corajosa agora, ao poder focar no meu bem estar como um todo. Dar 1 passo atrás, para dar 2 à frente.

Talvez não esteja tão forte fisicamente quanto poderia estar, mas estou com a alma fortalecida, por simplesmente cuidar bem da minha casinha. E isso não tem preço.

O exercício da alma não é na academia... e os títulos são passageiros, momentâneos, coisas que o homem inventou. Já a nossa saúde...

Eu aprendi :)

Obrigada a todos os meus amigos que me apoiam e estão ao meu lado, na saúde e na doença <3

Obrigada Specialized WOMEN pelas palavras no post do face
https://www.facebook.com/specializedwmnbr 
"O que é Your Ride. Your Rules? Às vezes temos que respeitar nossos próprios limites, as nossas adversidades, as nossas regras, e dar um passo atrás hoje para, posteriormente, dar diversos passos a frente. É isso aí, Vivi - Your Ride, Your Rules !!!"
MY RIDE, MY RULES

sexta-feira, 20 de março de 2015

CICLISTA VIVI FAVERY ENCARA ÚLTIMO TESTE ANTES DE PARTIR PARA DESAFIO NOS EUA

Atleta do Specialized Factory Team competirá neste domingo (22) na abertura do Big Biker, em Minas Gerais. Seu companheiro de equipe, Orlando Alves, também estará na prova
São Paulo (SP) - Seguindo jornada dupla, dividida entre o escritório, na área de marketing, e o ciclismo, a paulistana Vivi Favery faz neste domingo (22) sua última prova antes do desafio internacional Pisgah Stage Race, em abril, nos Estados Unidos. Neste fim de semana Vivi compete em Itanhandu, Sul de Minas, no Big Biker, maratona de MTB vencida por ela em 2012 e 2013. Também do Specialized Factory Team, Orlando Alves iniciará no mesmo dia a busca pelo quarto título da competição.

A preparação da ciclista para os cinco dias de pedal intenso na Carolina do Norte (EUA) foi iniciada há quatro meses incluindo, o GP Ravelli, em Serra Negra (SP), o Four Seasons MTB, em São Francisco Xavier (SP), e agora o Big Biker. Nos Estados Unidos, Vivi disputará a ultramaratona com 225 km de extensão e mais de 6.000 metros de aclive.

Após vencer as duas primeiras competições do ano, Vivi espera outro bom resultado em Itanhandu, onde venceu sua primeira prova na elite feminina. "Espero imprimir ritmo forte e consistente na abertura do Big Biker. Daqui a três semanas disputarei a Pisgah Stage Race e meu objetivo em Minas é avaliar os resultados dos treinos. Força, ritmo e resistência são as características da competição mineira", conta Vivi, que pedalará sua S-Works Era Full.

Em Itanhandu, os ciclistas da Pró, categoria de Vivi e Orlando, enfrentarão um total de 2.000 metros de subidas acumuladas em 94 km de trilhas. "Foi em Itanhandu, em 2013, minha primeira vitória na elite feminina. Por esse e outros motivos tenho um carinho especial por esta etapa. Gosto quando chega a Serra do Palmital, já na segunda metade da prova. Espero 'escalar' os 10 km de serra tão bem como nos últimos anos", complementa.

Pisgah Stage Race - Principal competição na temporada para Vivi, a prova nos Estados Unidos está entre os desafios que a paulistana colocou como meta para a temporada. A ciclista já incluiu em seu currículo provas relevantes como, duas edições do Brasil Ride, Ultramaratona da Bahia, disputada sob 40°C na Chapada Diamantina, Caminho de Santiago de Compostela, com 900 km percorridos em seis dias, sem apoio, e a Sani2c, corrida de três dias no leste da África do Sul.

"O maior desafio na Pisgah Stage Race será a parte técnica e o quanto o percurso estará sujeito às piores condições climáticas como, chuva e neve. Se chover e nevar, ficarei feliz se concluir a etapa sem problemas mecânicos. Se o clima colaborar, sei que possuo potencial para andar forte, mas o nível é outro. Lá fora, os atletas estão acostumados com circuitos mais técnicos. Devo gastar mais energia do que as adversárias. Um bom resultado no ranking geral é o objetivo e, se alcançado, será motivo de orgulho", avalia.

Orlando Alves em busca do tetra - O paulista Orlando Alves, também ciclista de MTB em longas distância, inicia no domingo a busca pela manutenção do posto de atual campeão do Big Biker na categoria elite masculina. Para repetir os feitos de 2010, 2011 e 2014, Orlando contará em Itanhandu com sua bike full suspension, a S-Works Epic World Cup, como principal aliada nas trilhas do Sul de Minas.

Sobre a Specialized - A Specialized foi fundada em 1974 por ciclistas, para ciclistas. Com base no norte da Califórnia, tem o foco nas necessidades dos praticantes, produzindo produtos funcionais e tecnicamente avançados, que fornecem um benefício de desempenho.

Mais informações:

Site
www.specialized.com.br
Facebookwww.facebook.com/specializedbr
Instagram: @specializedbr

Gustavo Coelho / Doro Jr. - Mtb 13209
E-mail: gustavo@zdl.com.br
Tel: 11 32855911 / Claro: 11 9.8457-9699

Siga a ZDL no twitter: twitter.com/ZDLcomunica
e no facebook ZDL Comunicação

terça-feira, 3 de março de 2015

Vitória na Copa de Verão da 4Seasons MTB

CICLISTAS SPECIALIZED CONQUISTAM QUATRO TÍTULOS NESTE DOMINGO
Thiago Boaretto, Vivi Favery e Orlando Alves, Specialized Factory Team, e Ellen Andruczewicz, da AOO Specialized, foram campeões em Minas Gerais, Santa Catarina e São Paulo

São Paulo (SP) - O domingo (1º/3) mais uma vez foi de comemoração para os ciclistas Specialized. Em provas realizadas em diversos estados do Brasil, os atletas de MTB patrocinados pela marca fizeram bonito e conquistaram quatro vitórias. Na abertura do Brasil Enduro Series, Thiago Boaretto começou na frente a briga pelo título nacional em Nova Lima (MG). Em São Francisco Xavier (SP), Viviane Favery ganhou a Copa de Verão do Four Seasons MTB. No Sul de Minas, em Extrema, Orlando Alves triunfou no Desafio dos Ventos, e Ellen Andruczewicz foi campeã na Maratona (XCM) em Joinville (SC).

O título da abertura do Brasil Enduro Series em Minas Gerais confirmou a boa fase de Thiago Boaretto, que superou o favorito Nataniel Giacomozzi, atual campeão da categoria pro. "O Brasil Enduro Series tem como característica elevar o nível técnico de seus circuitos gradativamente no decorrer do ano. Portanto boa parte dos atletas sabiam que a etapa exigiria muito da parte física", destacou Boaretto.

"Estou muito feliz com o resultado. Como os estágios cronometrados não seriam travados, optei por usar rodas maiores e o desempenho da minha S-Works Enduro 29 foi muito bom. Após treinar duas vezes com este equipamento, percebi que poderia andar mais rápido com ela nas partes de alta velocidade", completou o piloto paulista.

Em São Francisco Xavier, Vivi Favery foi superior em relação às rivais e conquistou sua segunda vitória na temporada. "Foi uma prova muito dura, com muita subida em um espaço curto de tempo. Algumas delas bem inclinadas, além de trechos técnicos, porque choveu, ficou bem liso e com muita lama. A Copa de Verão exigiu muita força e técnica, mas depois foi compensador, porque no topo era um visual bem bonito e prazeroso. As trilhas eram bem bacanas, em pasto e áreas fechadas", avaliou Vivi.

Sua bike, a S-Works Era foi fundamental nos momentos mais importantes. "Pela minha bike ser full suspension, ela acabou fazendo total diferença no resultado, porque fiz muito esforço nas subidas e a leveza da bicicleta me ajudou a guardar o máximo de energia possível. Nos quilômetros finais tivemos a prova com predomínio de estradas de terra e outra vez a bike foi um diferencial, deixando ela rígida e desenvolvendo muita velocidade", relatou a paulistana. 

Foto: Sergio Movimento em Foto

Foto: Sergio Movimento em Foto

Foto: Sergio Movimento em Foto
Desafio dos Ventos - Assim como seus dois companheiros de Specialized Factory Team, Orlando Alves foi vencedor na elite. "Comecei a temporada com o pé direito. Vencer uma prova com adversário de tão alto nível é muito bom. Confirma que estou no caminho certo", comemorou. "Foi uma etapa considerada plana em relação às anteriores que disputei do Desafio dos Ventos, com 55 km completados em pouco menos de duas horas. Minha média de velocidade foi de 30,1 km/h", concluiu.

AOO Specialized no pódio - Finalizando a participação dos ciclistas de MTB patrocinados pela marca americana, Ellen Andruczewicz foi a campeã da Maratona em Joinville. "Na minha categoria, sport, foram 43 km. Usei essa prova como preparação final para a Copa Internacional de MTB, em Araxá, e também para o Pan-Americano da Colômbia, no fim deste mês. Estou muito contente com o resultado e o desempenho da minha bike Specialized Fate Expert Carbon", contou a ciclista, que na quinta-feira (5) chega a Araxá, para a abertura da CIMTB.

Mais informações:

Site
www.specialized.com.br
Facebookwww.facebook.com/specializedbr
Instagram: @specializedbr

Gustavo Coelho / Doro Jr. - Mtb 13209
E-mail: gustavo@zdl.com.br
Tel: 11 32855911 / Claro: 11 9.8457-9699

Siga a ZDL no twitter: twitter.com/ZDLcomunica
e no facebook ZDL Comunicação